Por que a maconha não recebe fundos de pesquisa do governo americano?

Por que a maconha não recebe fundos de pesquisa do governo americano?

Primeiramente, precisamos dizer que segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), doenças mentais serão a segunda maior causa de morte e invalidez até 2020.

Estudos recentes publicados no Journal of Neuropsychopharmacology falam dos efeitos positivos causados pelo uso de cannabinóides, naturais da planta Cannabis, no tratamento de depressão, transtorno de stress pós-traumático, ansiedade e outras patologias. Mesmo com esses fortes indícios sobre os ativos da maconha, o uso de drogas sintéticas ainda prevalece com suas causas e efeitos bastante questionáveis, agindo na redução e cura de muitos sintomas, mas deixando uma trilha de efeitos colaterais e alto risco de dependência.

As pesquisas com Cannabis para fins medicinais continuam sem financiamento porque ela é classificada como droga “Schedule I” pela agência responsável pela administração de repressão às drogas (DEA) nos Estados Unidos. Você conhece todos os graus de classificação de drogas nos Estados Unidos?

Schedule I

Drogas com classificação “Schedule I” atualmente não são aceitas para uso medicinal e possuem ALTO potencial de abusos e excessos.

Alguns exemplos de drogas Schedule I: Heroína, Ácido lisérgico (LSD), MACONHA, Metilenodióximetanfetamina (Ecstasy), Tranquilizantes e Peiote (cactus alucinógenos).

Schedule II

Drogas com classificação “Schedule II” possuem ALTO POTENCIAL de abuso e podem levar a dependência física e psicológica severa, são consideradas perigosas.

Alguns exemplos: associações com menos de 15 miligramas de hidrocodona por dose; Vicodin (hidrocodona), Cocaína, Cristal (metanfetamina), Metadon (metadona), Morfina, Oxycontin (oxicodona), Fentenil (fentamina), Ritalina (metilfenidato) e Dexedrina (dextroanfetamina).

Schedule III

Drogas com classificação “Schedule III” possuem risco MODERADO a BAIXO de dependência física e psicológica. São drogas com potencial de abuso menor que o tipo “I” e “II”, porém mais elevados que o tipo “IV”.

Exemplos: produtos contendo menos de 90 gramas de codeína por dose; Tylex (Paracetamol+Codeína), Ketamina (cetamina), Esteróides anabolizantes e Durateston (testosterona).

Schedule IV

Drogas com classificação “Schedule IV” possuem BAIXO potencial de abuso e BAIXO risco de dependência. Exemplos: Tramal (tramadol), Valium (diazepam), Frontal (alprazolam), Lorax (lorazepan), Stilnox (zolpidem).

Schedule V

Drogas com classificação “Schedule V” possuem de fato, um risco MAIS BAIXO que aquelas do tipo “IV” e consistem em preparados contendo quantidades limitadas de certos narcóticos. Geralmente são usados como antidiarreicos, antitussígenos e analgésicos.

Exemplos: preparados para tosse com menos de 200mg ou por 100ml; Motofen (ibuprofeno), Lyrica(pregabalina), Lomotil (atropina).

Enquanto o diálogo não for aberto, a CANNABIS será eternamente considerada mais perigosa que cocaína, crack, morfina e mais uma infinidade de drogas sintéticas. Pessoas, com necessidades para se beneficiar do perfil medicinal da erva, ficam algemadas à doença e o preconceito social.

Então, o que você pensa sobre isso? Queremos ver sua opinião nos nossos comentários.

Shoulder Bag de Cânhamo do Dr. Banz

X
Add to cart