Dr Banz - Narcos Mexico

A série Narcos: México retrata as origens do narcotráfico mexicano

Arriba, Banzers!

Quem ja assistiu na Netflix? Depois do sucesso das 3 temporadas de Narcos sobre os cartéis colombianos de cocaína, a história foi para o México, mostrando a ascensão do Cartel de Guadalajara nos anos 80, quando Miguel Angel Félix Gallardo (Diego Luna) assume o comando e une os traficantes numa estrutura organizada, construindo de fato um verdadeiro império, e consequentemente um violento negócio que transformou o país até os dias de hoje.

Mas por que estamos falando disso?

Porque tudo começou com a m4conha!

Na primeira temporada conhecemos as plantações de Rafael Caro Quintero, que cuidava do plantio e colheita da strain “sensimilla” e que junto com Miguel Angel Félix Gallardo e Ernesto “Don Neto” Carrillo, foram responsáveis pela primeira organização de produção e tráfico em larga escala de m4conha do México para os Estados Unidos.

Rafa Quintero idealizou uma maneira de industrializar o cultivo de m4conha no deserto! Mais de 10 mil empregados trabalhavam na plantação em Chihuahua, no norte do México, num rancho chamado “El Búfalo”.

Uma vez criado esse “sindicato” da m4conha de Guadalajara, a ambição de Félix Gallardo fez com que expandissem seus negócios com a cocaína, fazendo acordos com Pablo Escobar (Cartel de Medellín) e Pacho Herrera (Cartel de Cali) para transportar o pozinho branco da Colômbia para os EUA através do México.

Mas isso começou a chamar a atenção da DEA (Agência Antidrogas dos EUA).

A Procuradoria da Justiça Federal do México, em colaboração com a DEA, lançaram uma operação que levou ao desmantelamento da produção de El Búfalo. Certamente, um dos maiores golpes sofridos pelo Cartel de Guadalajara, que abrigava mais de 13 mil toneladas de maconha, o que teria provocado um prejuízo de US$ 8 milhões ao cartel.

Em resposta, Quintero sequestrou e assassinou Kiki Camarena (agente da DEA), um dos responsáveis pela operação de inteligência que derrubou o rancho. Mas esse foi o grande erro de Quintero, que culminou na sua prisão e de Don Neto.

Félix Gallardo, com “proteção” política, continuou seu império, mas depois foi traído pelos chefes dos outros cartéis mexicanos e pegou 37 anos de prisão, onde está até hoje.

Já que não se trata de um documentário, alguns acontecimentos não são retratados exatamente como ocorreram na vida real. No entanto, vários momentos abordados na série são peças-chave para entender o mundo do narcotráfico e a situação do México hoje.

De 1988 a 2018, cerca de 475 mil pessoas morreram assassinadas no país, a grande maioria relacionadas às atividades do narcotráfico.

Ou seja, uma série interessante, que além de mostrar a operação e violência dos cartéis, mostra também a influência da POLÍTICA e do PODER no tráfico de drogas.

Quer maratonar?

(2015) Narcos – Temporada 01 
(2016) Narcos – Temporada 02 
(2017) Narcos – Temporada 03 
(2018) Narcos: México – Temporada 01 
(2020) Narcos: México – Temporada 02
(2021 – A confirmar) Narcos: México – Temporada 03 

BANZ-ai !!!

Eco Shoulder Bag
Eco Shoulder Bag
Dr Banz - Porque as Redes Sociais ainda banem conteúdo c4nábico

Porque as Redes Sociais ainda banem conteúdo c4nábico?

Salve Banzers!

Antes de mais nada, você sabia que as redes sociais possuem políticas duras e não (totalmente) declaradas quando o assunto é conteúdo c4nábico?

Para as marcas que dependem exclusivamente da publicação de seu material nas redes sociais, isso é um tormento.

E um tormento que muda de regras, (as famosas guidelines) constante e aleatoriamente, o que dificulta demaaaaais o trabalho de quem gera conteúdo c4nábico.

Apesar de parecer improvável, as principais plataformas desaprovam que conteúdo sobre qualquer tipo de droga legalizada ou não, seja amplamente divulgado em seus feeds.

Anunciar produtos ou marca numa rede social é um risco constante, pois você nunca sabe quando toma um shadow ban, que basicamente é quando Facebook, Instagram, Tik Tok ou qualquer uma delas simplesmente esconde seus posts, ou restringe a entrega a poucos seguidores que mais interagem com sua marca.

Uma vez que a marca recebe um shadow ban, ela tem chances reduzidas de alcance e interação de seus posts.

E sabe qual o pior de tudo?

A marca/pessoa sequer é notificada que tomou um desses, a plataforma pode simplesmente deletar seus posts se achar de um dia para o outro que seu conteúdo vai contra as regras da comunidade.

Ter a conta deletada é um dos maiores castigos aleatórios já aplicados.

Temos diversos exemplos de gente que teve a conta deletada e conseguiu voltar online, mas muita gente perdeu anos de trabalho investidos em preparação, estudo, dedicação e muito esforço para ver seu sonho rolar.

Por isso queridos Banzers, valorizem as Marcas, Artistas, Lojas, Influencers, ou quem quer que seja que gere um conteúdo canábico que SOMA!

Prestigie quem te faz aprender, rir, chorar, se indignar ou bater palmas… porque a luta e o corre são diários contra regras que mudam, onde informação é banida, pessoas são deletadas simplesmente porque falam de MACONHA!

Fortaleça para Fortalecer!

Sempre!

BANZ-ai!

Fonte

Eco Shoulder Bag
Eco Shoulder Bag
Dr Banz - O fim do turismo canábico em Amsterdam?

O fim do turismo canábico em Amsterdam?

Salve Banzers que curtem um turismo canábico!

A Holanda prepara um movimento drástico, inesperado e surpreendente quando reabrir suas fronteiras após a pandemia do COVID-19. A atual prefeita de Amsterdam, Femke Haselma, está trabalhando firme para banir o turismo canábico na Holanda.

Em 2019, estima-se que 46 milhões de pessoas visitaram a Holanda. Para 57% dos visitantes internacionais, conhecer um coffee shop era considerada “muito importante”, conforme revelou pesquisa realizada pelo próprio governo.

Mas a proposta da prefeita de Amsterdam é diminuir o fluxo de turistas para melhorar a qualidade de vida dos residentes. Por isso quer implementar a proibição da venda de maconha para turistas e permitir que apenas cidadãos e residentes possam ter acesso a compra e consumo.

Com o crescente aumento do fluxo de turistas a cada ano, as passagens aéreas dentro do continente europeu baratearam bastante e Amsterdam virou destino para o final de semana. Com o setor do turismo em colapso devido à pandemia, a prefeita Haselma está determinada a remodelar o setor assim que a crise passar.

“Amsterdam é uma cidade internacional e queremos receber turistas que venham nos visitar por nossas belezas naturais, instituições culturais e pela beleza da cidade! Somos muito mais que drogas e sexo”, declarou Femke Haselma.

Dr Banz - O fim do turismo canábico em Amsterdam?

O Turismo Canábico

570 coffeeshops espalhados pelo país (166 em Amsterdam) e desde a década de 70 o governo tolerou o crescimento desses estabelecimentos.

Amsterdam certamente sempre estimulou a cultura cannábica e outras atividades, como receber a famosa Cannabis Cup por décadas.

Ainda não se sabe qual será o desenrolar dessa história, mas gostaríamos de continuar tendo a oportunidade de experimentar as delícias holandesas, num país que sempre foi exemplo de maturidade com relação à política de drogas e respeito aos direitos individuais.

Aguardamos cenas do próximo capítulo…

Eco Shoulder Bag
Eco Shoulder Bag

BANZ-ai!

Fontes: 01 e 02

Dr Banz - Hemp for Victory

HEMP para VITÓRIA!

Salve Banzers da Vitória!

Em 1942, o governo americano – que negou por inúmeras vezes a autoria dessa obra de arte – lançou um filme chamado HEMP FOR VICTORY, para incentivar fazendeiros e agricultores a plantar cânhamo para fins industriais.

Nesse vídeo em preto & branco (em nossa opinião tem todo um charme por isso), filmado durante a Segunda Guerra Mundial, demonstrava e ensinava sobre as múltiplas aplicações do cânhamo em tempos de guerra!

Vale lembrar que durante o período da guerra, muitas outras fontes de matéria prima eram importadas e estavam escassas.

O filme mostra a história do cânhamo e produtos derivados, formas de cultivo e como processar a matéria prima para produção de cordas, tecidos e cordame para a Marinha.

Antes de 1989, o filme era praticamente desconhecido. O Governo Americano, a Secretaria de Agricultura e até a Biblioteca Nacional, negaram até o final que qualquer filme “desse tipo” tivesse sido produzido.

Dr Banz - Hemp for Victory

Mas maconheiro é um povo resiliente, aguenta inverdades, hipocrisia e safadeza política há muito tempo!

E num belo dia de maio de 1989, os ativistas Maria Farrow, Carl Packard e o famoso Jack Herer, encontraram duas cópias em VHS para desmascarar a mentira escrota do governo americano!

Em 1990, John Birrenbach, fundador do Institute for Hemp resgatou uma cópia do Arquivo Nacional. Tratava-se de um filme em duas partes (6´46” + 7´16”), totalizando aproximadamente 15 minutos de filme que detalhou o cultivo de cannabis para produção de fibras.

Tratou-se de uma grande vitória para o ativismo, pois foi o primeiro resgate de filme diretamente de uma fonte do governo!

Oficialmente, hoje temos que o filme foi de fato produzido pelo Departamento de Agricultura Americano e contém cenas do filme mudo de 1926, Old Ironsides.

Hoje o filme HEMP for VICTORY é de domínio público e pode ser baixado gratuitamente.

Vitória do ativismo cannábico que nunca baixou e nunca vai baixar a guarda na luta pela legalização!

BANZai !!!

Eco Shoulder Bag
Eco Shoulder Bag
Dr Banz - Marley Natural

Marley Natural, a primeira marca global de cannabis

Get Up, Stand Up Banzers!!!

Os herdeiros da família Marley de fato fizeram uma parceria com um fundo de investimentos, a Privateer Holdings. A fim de criar a primeira e maior marca internacional de cannabis e produtos relacionados do planeta!

A Marley Natural tem como proposta: “Oferecer a tradição jamaicana em strains inspiradas nas favoritas de Bob Marley”. Mas além das flores, também disponibilizam tinturas, loções, óleos e acessórios para o maravilhoso ritual do culto a ganja!

Dr Banz - Marley Natural

Obviamente e infelizmente disponíveis apenas em mercados onde a benção da legalização já chegou… snif!

“Meu pai ficaria muito feliz em ver as pessoas entendendo o poder e cura da erva, ele a via como algo espiritual que pode despertar nosso bem-estar, aprofundar a reflexão, nos conectar à natureza e liberar a criatividade. A Marley Natural é uma forma autêntica de honrar seu legado, adicionando sua voz em debates sobre a maconha e ajudar nos danos sociais causados pela proibição”, declarou Cedella Marley, filha da lenda.

A família Marley já vem comercializando o legado musical de Bob a alguns anos. Desde marcas de café, equipamentos musicais, assim como sedas e camisetas, agora com a chegada da Marley Natural, o clã finalmente se declara como empreendedores cannábicos.

Brendan Kennedy, CEO da Privateer Holdings concluiu: “Bob Marley começou a impulsionar a legalização da maconha há 50 anos, nós queremos ajudá-lo a conseguir!”

Navegamos pelo site da Marley Natural e ficamos apaixonados pela proposta e design dos produtos!

Agora a pergunta: Como vamos acessar essas maravilhas se aqui o terraplanismo domina entre os governantes e autoridades, que fazem questão de manter o proibicionismo e a hipocrisia com relação à legalização da maconha no Brasil?

Get Up, Stand Up for your rights!”

Dr Banz - Marley Natural

BANZai Bob!

Fontes: 01 e 02

Good Vibes Collection
Good VIbes Collection – Compre já a sua e vamos normalizar através da moda!

 

Dr Banz - Por que uma pequena universidade de Artes está se tornando a líder na educação cannábica?

Por que uma pequena universidade de Artes está se tornando líder na educação cannábica?

Salve Banzers!

Uma pequena universidade na área rural de Nebraska/USA, deu um passo adiante para se tornar internacionalmente inovadora na área da Educação Cannábica.

Sob a liderança da Dra Andrea Holmes, doutora em Química Orgânica, lançou um programa educacional de Certificação Cannábica.

O programa chamado de A Indústria Cannábica – Sementes para Ajuda é composto por três cursos de certificação online. Eles cobrem esse novo campo repleto de oportunidades, principalmente nos países onde o governo já abriu os olhos, largou a hipocrisia doente de lado e entendeu a oportunidade que esse segmento pode trazer à sociedade.

Aprendendo sobre o Cultivo, Processos, Testagem, Legislação e Regulamentações, os alunos têm a oportunidade de se capacitarem para o mercado legalizado da indústria cannábica.

Enquanto por aqui, osmarterraplanistas remam contra a maré do progresso espalhando irracionalidade e preconceito, os cursos de educação cannábica da Universidade Doane já tiveram 13.000 inscrições de 166 países diferentes !!!

Os cursos foram criados para elevar a qualificação dos profissionais da indústria, principalmente no Nebraska, onde já houve a regulamentação do cultivo do cânhamo para uso industrial. E no próximo mês de novembro, a legalização do uso medicinal da cannabis será votado.

“Nossos cursos percorrerão desde o conteúdo histórico relacionado à cannabis, além de biologia, educação para agricultura cannábica, aspectos medicinais, testagem e processos no intervalo de 8 semanas, para oferecer educação de ponta sem precedentes nos EUA e no mundo”, disse a Dra Andrea Holmes, coordenadora responsável pelo curso.

Kit Acessórios - Good Vibes Collection
Kit Acessórios – Good Vibes Collection

E o hempreendedorismo e visão do futuro da Universidade Doane não param por aí. Recentemente ela inaugurou a primeira planta comercial (com qualificação ISO) para testagem de cannabis. Apoiando de fato a colheita inaugural dos fazendeiros e cultivadores licenciados pela legalização do cultivo de cânhamo no estado.

Com isso a Universidade Doane conta com o conhecimento e a infra estrutura ideal para a pesquisa, desenvolvimento e testagem da cannabis. Esse raciocínio fora da caixa trouxe novas fontes de geração de receita. Como locação de espaço para startups com atuação no ramo fitoterápico ou na indústria cannábica.

Para coroar todo esse movimento, os alunos são os grandes beneficiados, pois há mais investimento em pesquisa e mais oportunidades de empregos!

Mas isso é muito diferente daqui onde o investimento em pesquisa foi ceifado em nome do obscurantismo e negligência do atual governo em áreas essenciais como a Saúde.

Quer saber maiores informações sobre a Universidade Doane e seus cursos cannábicos, dá um confere: https://www.doane.edu/academics/division/cannabis-studies

BANZai!

Fontes:
01 e 02 e 03

Dr Banz - Bolsas de estudo com impostos da Maconha

Bolsas de estudo com impostos da Maconha

Salve Banzers!

Quem não gostaria de uma bolsa de estudo para continuar seus aprendizados? Na atual realidade que vivemos, um apoio para terminar ou até mesmo estender sua carreira acadêmica seria uma benção, não?

Trabalhar duro para sustentar o próprio ensino é certamente a realidade de grande parte da galera que atualmente frequenta algum tipo de curso superior aqui no Brasil. Agora imagine se o governo entrasse com uma parte de seus custos estudantis e aliviasse essa barra nervosa de tão pesada?

Seria fantástico !!!

E se além de receber a bolsa de estudo, você soubesse que essa grana que dá a oportunidade de muitas pessoas prosseguirem estudando vem do dinheiro recolhido dos impostos sobre a venda de cannabis legalizada?

Seria fodaralho !!!

Pois é, o condado de Pueblo, no estado americano do Colorado, está prontinho para oferecer U$2.3 milhões de dólares em bolsas escolares!

E toda essa grana veio de uma iniciativa política pró legalização de 2015, que dizia que a primeira metade dos impostos arrecadados com a comercialização de cannabis, DEVE SER DESTINADA À EDUCAÇÃO e o restante em projetos de infraestrutura.

Dependendo da série escolar, das notas, se está em algum programa de ajuda comunitária, entre outros pontos, há variação no valor da bolsa. Mas calcula-se que em média 729 alunos receberão o benefício nesse segundo semestre!

E para melhorar, em Abril/20 (no auge da pandemia), a empresa de cannabis tech VERIHEAL, ofereceu U$10 mil dólares em bolsas de estudo. Mas apenas para quem se inscrevesse em cursos relacionados à indústria cannábica!

Imagina?

Continuar estudando porque seus governantes, além de terem contribuído para a legalização da maconha, ainda colocaram cláusulas nesse processo para que muitas pessoas como NÓS, sejam beneficiades anualmente? É pedir muito?

BANZai!

Fontes: 0102

Good VIbes Collection
Good VIbes Collection
Dr Banz - Jah Rastafari

Jah Rastafari

De fato, o movimento Rastafari sempre teve suas raízes fortemente ligadas à maconha, sem novidades. Mas “ser rasta” é meter uns dreads na cabeça, cantar Bob Marley e fumar tocha atrás de tocha?

Pelo amor de Jah, não.

Vamos conhecer alguns princípios básicos da história e cultura Rastafari para melhorar o entendimento sobre esse importantíssimo movimento religioso e cultural que usa a maconha em seus rituais de conexão com Deus:

  • A tradição Rastafari começou na década de 1920, com o discurso de Marcus Garvey. Ele foi um herói nacional jamaicano, que falava sobre o surgimento de um novo Rei na África;
  • Em 1930, houve a coroação de Ras Tafari Makonnen, também conhecido como Haile Selassie, como novo imperador da Etiópia;
  • Pareceu a concretização da profecia do novo rei da África e os seguidores de Marcus Garvey, batizaram seu movimento com o nome do novo imperador: RasTafari;

ZION

  • O Rastafarianismo se refere a uma ideia onde ZION (atual Etiópia), é o berço da humanidade. A terra prometida, ou ainda, um estado de espírito a ser atingido;
  • Mas em oposição à ZION está a BABYLON, referindo-se ao mundo materialista corrupto, ou estado mental negativo que deve ser abandonado;
  • Haile Selassie, imperador da Etiópia, se intitulava descendente direto do Rei Salomão. E cedeu terras em seu país para os Rastafaris que escolhessem voltar para a África;
  • Em Abril de 1966, o imperador visita a Jamaica e legitima o Rastafarianismo, abrindo as portas do mainstream para o que era anteriormente um pequeno grupo religioso;

RASTAFARIS

  • Os Rastafaris acreditam em Jah com seu Deus e a árvore da vida como uma representação da cannabis;
  • Ao contrário de quem pensa que os Rastafaris fumam para chapar o dia inteiro, muito se enganam, pois a erva é usada como parte de rituais religiosos para promover a espiritualidade e a comunhão com Jah;
  • Além do consumo da ganja em seus rituais, outro elemento muito forte na cultura Rasta é obviamente a música, com Bob Marley e Peter Tosh como seus maiores porta vozes;
  • Seus principais ícones são as cores vermelho, verde e amarelo, além do Leão de Judá e a imagem do próprio imperador Haile Selassie.

Portanto meus querides, essa foi uma leve pincelada que pede máximo respeito à cultura, valores religiosos, lifestyle e fé do movimento! Jah, Rastafari !!!

Banzai!

Fontes: 01 e 02

Shoulder Bag de Cânhamo do Dr. Banz
Shoulder Bag de Cânhamo do Dr. Banz
Dr Banz - 5 Celebridades que usam CBD

5 Celebridades que usam CBD

Salve Banzers!

Certamente os benefícios da cannabis medicinal estão cada vez mais em evidência. E começam a ser conhecidos por cada vez mais pessoas onde já houve a bendita legalização.

Muito dessa exposição passa pelos bons resultados que muitas pessoas, algumas delas famosas, de fato alcançam ao lançar mão de produtos que possuem padrões de produção regulamentadas.

Ou seja, sabe-se com exatidão o que está sendo consumido, qual sua procedência e o melhor de tudo, pode-se dosar com maior segurança de acordo com a necessidade de cada um.

Quer conhecer 5 celebridades que usam CBD e que tiveram ótimas experiências com a cannabis e divulgam seus principais benefícios?

1) Seth Rogen

O ator americano (baita maconheirão!) também é um ativista antiproibicionista que apoia o uso do CBD para o tratamento do Alzheimer. Acredita fortemente nos benefícios que o canabidiol pode proporcionar às pessoas que passam por dificuldades em sua saúde física e mental;

Dr Banz - 5 Celebridades que usam CBD

2) Morgan Freeman

O vencedor do Oscar (consagrado ator em títulos como “Seven”, “Um Sonho de Liberdade” e “A História de Deus”), começou a usar o CBD após um acidente de carro, em 2008. Foi diagnosticado com fibromialgia, consiste em dor muscular severa. Para lidar com as dores, tentou CBD+THC e descobriu ser altamente eficaz para suas dores. Desde então compartilha sua experiência cannábica positiva abertamente.

Dr Banz - 5 Celebridades que usam CBD

3) Tommy Chong

Certamente um dos maiores ícones da cultura e lifestyle cannábico, o Chong da dupla Cheech & Chong, nunca escondeu sua paixão pela ganja em muitos anos de ativismo. Mas poucos sabem como a cannabis o ajuda em sua luta contra um câncer de próstata.

Dr Banz - 5 Celebridades que usam CBD

4) Alessandra Ambrosio

Super top models também se beneficiam com o uso de cannabis medicinal! Alessandra declarou que o CBD a ajuda no controle da ansiedade e insônia, por sua profissão exigir 8 horas de sono, conta com a ajuda da cannabis para descansar e relaxar.

Dr Banz - 5 Celebridades que usam CBD

5) Jennifer Aniston

Uma das grandes atrizes de Hollywood, (que já passou por este post aqui declarou usar especificamente o óleo de CBD para lidar com o stress, dor e ansiedade. Encontrou alívio na recuperação de sua saúde mental, “sempre existe esperança com o óleo de CBD”, declarou.

Dr Banz - 5 Celebridades que usam CBD

Sabemos que o CBD oferece benefícios isoladamente, mas é necessário falar sobre o “efeito comitiva”, onde dependendo da indicação, comprova-se que CBD+THC juntos potencializam seus efeitos medicinais trazendo ainda mais ganhos no tratamento.

De fato, quanto maior o número de pessoas (sejam elas famosas ou não) falando sobre os benefícios da cannabis medicinal.

Certamente precisamos de mais gente boa falando cada vez mais de maconha!!!

@andreaskisser, guitarrista do Sepultura;
@bobburnquist, campeão mundial de sk8;
@henrique_fogaca74, chef de cozinha;
@neivalaura, atriz;
@claudia_rodrigues_oficial, atriz.

Mas você se lembra de quais outras celebridades que usam CBD, brasileiras, levantando a bandeira do ativismo e falando sobre a importância da regulamentação do uso medicinal da cannabis?

BANZai!

Fonte

Good VIbes Collection
Compre agora mesmo sua camiseta da Good VIbes Collection!
Dr Banz - 5 rainhas cannábicas da antiguidade

5 rainhas cannábicas da antiguidade

Salve Reino Banzer!

Hoje temos de fato, muitas mulheres que consideramos verdadeiras delegadas da cena cannábica brasileira, temos a honra de chamar algumas de amigas e guardamos admiração por muitas outras, que tão bem nos representam e defendem!

Mas por muitos anos a história deixou no esquecimento importantes personagens da história cannábica e na maioria das vezes, mulheres. Mas as lendas de importantes “ativistas da antiguidade” sobreviveram ao tempo e suas histórias revelam mulheres influenciadoras que usavam a maconha como ponto central de seus poderes.

Com a ajuda de Ellen Komp (que também é diretora do grupo de advocacia canábica California Norml), autora do livro Tokin’Women: a 4000-Year Herstory of Women and Marijuana, vamos conhecer 5 rainhas cannábicas da antiguidade?

Rainhas cannábicas

1. Deusa Ishtar, antigo Oriente (± 2300 a.C.)

Dr Banz - 5 rainhas cannábicas da antiguidade

Conhecida como Queen of Heaven, (ou Rainha do Paraíso), a deusa da cura era adorada em uma vasta região do antigo Oriente e era conhecida por usar em seus rituais uma erva chamada “qunnabu”, ou cannabis.

2. Rainha de Sheba, norte da África (± 950 a.C.)

Dr Banz - 5 rainhas cannábicas da antiguidade

Não se sabe com certeza se ela é ficção ou real, mas muitos registros históricos fala de uma mulher próxima ao rei Salomão, que o ajudou a construir seu templo com cordas de cânhamo, é mencionado que a Rainha de Sheba ao visitar o rei Salomão o presenteava com ouro, temperos e “ervas”.

3. Deusa Asherah, antigo Israel (± 1800 a.C)

Dr Banz - 5 rainhas cannábicas da antiguidade

A deusa Asherah era relacionada com “A Árvore da Vida”. Porque detinha conhecimento sobre as coisas da natureza e detentora do fruto proibido que permitia o homem a pensar como os Deuses!

4. Princesa Ukok, antiga Siberia (± 1500 a.C)

Dr Banz - 5 rainhas cannábicas da antiguidade

Conhecida como a Princesa de Gelo, seu túmulo foi encontrado apenas em 1993. E junto de uma múmia congelada, havia os restos mortais de 6 cavalos selados (provavelmente seu “transporte” para o outro mundo), ornamentos de bronze, ouro e um potinho com… HEMP!

5. Magu, antiga China (± 300 a.C)

Dr Banz - 5 rainhas cannábicas da antiguidade

O próprio nome Magu, significa acompanhante de cânhamo e sua lenda diz que alcançou a imortalidade perto do Monte Sagrado Tai, onde o cânhamo cultivado na região, era agrupado no sétimo dia, do sétimo mês lunar.

Essa foi nossa homenagem a todas as mulheres cannábicas. As que lutam constantemente pela legalização da maconha em várias frentes de atuação (medicinal, social, artes, música, moda, política e muitas outras). E certamente provam que possuem uma linhagem quase real ou divina, como suas antecessoras! Obrigado por estarem conosco nessa luta!

BANZai!

Fontes: 01 e 02 e 03

Acessórios Dr. Banz

X
Add to cart