Cannabis no combate à doença de Alzheimer

Cannabis no combate à doença de Alzheimer

“Um trago por dia pode manter o Alzheimer longe”, diz pesquisador de cannabis.

A cannabis pode ser um tratamento efetivo no combate a doença de Alzheimer, disse o Dr. Gary Wenk da Universidade do Estado de Ohio.

Isso porque o Alzheimer está ligado a uma inflamação no cérebro e a cannabis tem propriedades anti inflamatórias bem conhecidas. Segundo essa pesquisa do Dr. Wenk, o diagnóstico precoce da inflamação no cérebro pode determinar se a pessoa desenvolverá ou não Alzheimer com quase 40 anos de antecedência.

“A inflamação cerebral acontece naturalmente quando as pessoas envelhecem ou são induzidas por trauma ou acidente.”

Portanto, atletas ou pessoas comuns que receberam um impacto forte na cabeça, deveriam procurar pelos benefícios da cannabis medicinal hoje para desacelerar os persistentes efeitos de suas contusões no futuro.

Até em baixas doses (como um trago/ pega por dia), a inflamação cerebral foi reduzida, observou o Dr. Wenk em sua pesquisa realizada com ratos no laboratório da universidade.

O resultado dessa pesquisa fez o médico pesquisador questionar, “Porque os pacientes que passaram por acidentes de carro, não recebem cannabis para fumar e assim reduzir a pressão e por consequência a inflamação cerebral?”

Cannabis X Cérebro

Fonte: https://420intel.com/articles/2018/05/29/puff-day-can-keep-alzheimers-away-says-cannabis-researcher-0?utm_source=420+Intel+-+Marijuana+Industry+News&utm_campaign=28e2059f64-420+Intel&utm_medium=email&utm_term=0_3210cbef52-28e2059f64-278277101

Hollyweed Banzers - Jennifer Aniston

Hollyweed Banzers: Jennifer Aniston

Salve Banzers !!!

Hollyweed Banzers é a nova coluna do @doctorbanz sobre a Sétima Arte, quem são os grandes atores e atrizes que curtem um banza, quais filmes divulgam a cultura cannábica, trilhas sonoras alucinantes e tudo mais que mescle cinema & maconha!

Para inaugurar a coluna, traremos uma atriz fantástica. Vencedora de Emmy Awards, Golden Globe Awards dentre muitos outros prêmios como Melhor Atriz. Tem em sua filmografia “Along Came Polly (Quem vai ficar com Polly?)”, “We’re the Millers (Família do Bagulho)” (onde interpreta a dealer + stripper mais gata da história cannábica!), ficou conhecida como Rachel do seriado Friends, mas continuou fazendo papéis cada vez mais marcantes como no inesquecível “Marley & Eu” e hoje ela é simplesmente Jennifer Aniston!

Nascida em 1969 na California, mas criada em New York.
Jennifer Joanna Aniston é sempre casual sobre sua relação com a maconha. Assim como seu ex-marido Brad Pitt, Jen sempre foi aberta ao falar sobre sua predileção pela erva mesmo antes do estrelato. Numa entrevista à Rolling Stone Magazine em 2011, Jennifer declarou que ao mesmo tempo que se divertiu muito, ficou incrédula com as críticas recebidas que tentavam transformar seu consumo em vício.

“Uma vez li num tablóide que eu e meu (ex)marido estávamos viciados em drogas. Quando fui ler a matéria, dizia que estávamos fumando maconha! Nem era uma droga real como cocaína ou heroína….era só um banza!”. E concluiu:

“Eu curto fumar um de vez em quando, não tem nada de errado com isso…eu não diria que sou maconheiraça, tudo com moderação.”

Jennifer Aniston continuará para sempre nos encantando com seu talento e charme nas telas. Mas agora que sabemos dessa afinidade cannábica em comum, veremos seus lindos olhos mais green que nunca!

Banzai!

Crédito: greenrushdaily.com

Shoulder Bag de Cânhamo do Dr. Banz

Maconha X Álcool X Tabaco

Maconha X Álcool X Tabaco

Estudo confirma: Álcool e Tabaco são muito mais perigosos que cannabis

Certamente, algumas substâncias “legais” são muito mais nocivas para a saúde do que as “ilegais”. A revisão global sobre os dados de uso de substâncias, apontou que álcool e tabaco são muito mais perigosas. Mais perigosas do que todas as drogas ilícitas.

De acordo com o estudo “Global Statistics on Alcohol, Tobacco and All Ilicit Drugs Use: 2017 Status Report”, (Relatório 2017: Estatísticas Globais do Uso de Álcool, Tabaco e Todas as Drogas Ilícitas), compila dados do Instituto de Avaliação de Métricas de Saúde, do Escritório de Drogas & Crime da ONU e da OMS (Organização das Nações Unidas e Organização Mundial da Saúde), para avaliar os efeitos de substâncias viciantes, no bem estar das pessoas e sua expectativa de vida.

Analisando os capítulos desse estudo conclui-se que a Europa é o maior centro de consumo de tabaco e álcool. De fato, 50% da população bebe regularmente e 20% de todo continente europeu fuma tabaco. O leste europeu é a região mais afetada.

Os pesquisadores concluíram que “Europeus são os que mais sofrem dos males do álcool e tabaco e a maior taxa de mortalidade foi encontrada em países de grandes populações com renda média baixa.”

O outro lado da moeda

Por outro lado (com menos de 1 pessoa entre 20, admitindo o uso), avaliando uso difundido e seus males, estão substâncias ilegais como:

  • opióides;
  • cocaína;
  • anfetaminas;
  • cannabis

Europa e América do Norte, apresentaram os maiores índices de uso e dependência. Os pesquisadores concluíram que por serem regiões com informações e infraestrutura mais robustas sobre o tema, podem mascarar índices mais elevados quando comparados com países com pouca ou nenhuma base de dados.

É provável que países com baixas taxas de uso de cannabis são consequências do status legal da erva. Os Estados Unidos e o Canadá lideram o ranking mundial de uso de cannabis.

Fonte: https://420intel.com/articles/2018/05/29/study-confirms-alcohol-and-tobacco-are-way-more-dangerous-cannabis

Shoulder Bag de Cânhamo do Dr. Banz

Conduta Não Apropriada - Suzeanne Brill

Conduta não apropriada

Família de Suzeanne e Mathew Brill perdeu a guarda de seu filho por dar MACONHA para tratar convulsões.

No último mês de abril de 2018, a Divisão dos Serviços da Família e da Criança do estado da Georgia nos Estados Unidos, tirou a guarda do filho de Suzeanne e Mathew Brill depois que o xerife local os prendeu por darem maconha a seu filho.

E eles não negaram a acusação.

“Nós admitimos abertamente à equipe policial presente”, disse Mathew Brill. O filho dele (que não teve seu nome divulgado por se tratar de um menor de idade), foi levado a um abrigo até que a situação se esclareça no tribunal, onde responderão por conduta não apropriada.

Mathew e Suzeanne afirmaram não serem pais ruins. Apenas faziam o que estava ao alcance deles para as frequentes crises de convulsão sofridas pelo garoto. “As crises acontecem 24 horas por dia, 7 dias por semana”, afirmaram.

Após tentarem diversas medicações e até óleo de cannabis, sem resultados satisfatórios, os pais decidiram dar maconha para que o garoto fumasse num cachimbo de vidro. “Eu sei de onde vem minha erva, conheço e confio nos meus contatos. Carreguei o cachimbo, fumei primeiro, pus em cima da mesa e disse: “Sua escolha”. Não o forcei a fumar.”

Os pais reconheceram que o garoto vinha fumando frequentemente, mas, segundo eles, as crises reduziram consideravelmente e o garoto pretendia voltar às aulas. Mathew e Suzeanne Brill estão sendo processados e o garoto vive hoje num abrigo onde a justiça determinou ser mais seguro para ele.

Nós do Dr Banz acreditamos nos benefícios da cannabis medicinal. Falamos sobre o uso terapêutico e a importância da regularização para os pacientes que precisam e dependem desse tratamento. Portanto se esse for o caminho a ser seguido, que seja com acompanhamento médico. Seguindo a prescrição específica para sua patologia.

Conduta Não Apropriada

Fonte:https://420intel.com/articles/2018/05/28/georgia-family-loses-custody-son-after-giving-him-marijuana-treat-seizures?utm_source=420+Intel+-+Marijuana+Industry+News&utm_campaign=f59de798d7-420+Intel&utm_medium=email&utm_term=0_3210cbef52-f59de798d7-278277101

Maconha X Antibióticos

Maconha X Antibióticos

Todos sabem que não se deve ingerir bebida alcóolica enquanto estiver sob tratamento de antibióticos, certo? O álcool interfere na eficácia do medicamento e o tratamento pode ser ineficaz, mas… e a maconha?

Maconha X Antibióticos

Terry Roycroft, presidente da Medicinal Cannabis Resource Centre Inc. (Centro de Recurso de Cannabis Medicinal – MCRCI), que é um estudioso da maconha e seus efeitos há mais de dez anos e um apaixonado em aumentar o conhecimento público da planta, disse que “a utilização de maconha durante um tratamento com antibióticos pode não ser tão prejudicial como as pessoas pensam”. E complementou: “Existem uma série de interações medicamentosas para inúmeras coisas do nosso cotidiano, cafeína por exemplo, tem aproximadamente 82 interações com outras drogas e algumas dessas interações vão de moderadas à severas.”

Uma fruta conhecida como grapefruit (no Brasil conhecida como “toranja”),  tem um potencial altíssimo de interação com outros medicamentos, incluindo antibióticos usados para tratar infecções respiratórias, gástricas dentre outras.

“Na realidade comecei a observar as interações da grapefruit como guia para aprender sobre as interações da cannabis”, disse Roycroft. “O que se sabe hoje é que existem poucas interações com a cannabis, quaisquer interações identificadas hoje com ela são consideradas leves, e o mais interessante é que já existem alguns médicos pesquisando se antibióticos funcionam melhor com cannabis!”

A enfermeira especializada em cannabis medicinal, Jessie Gill, disse que: “alguns antibióticos podem potencialmente interagir com a cannabis”.

“A maconha inibe uma enzima específica no fígado, o citocromo P450, que é uma enzima onde muitos medicamentos são metabolizados, incluindo os antibióticos”.

“Isso significa que ao associar maconha + medicamentos, os efeitos das medicações serão aumentados, consequentemente, você terá maiores chances de experimentar os efeitos colaterais e reações adversas dos antibióticos.”

“Por exemplo, quando tratamos alguém que usa medicamentos para dor e inserimos a cannabis no tratamento, normalmente reduzimos a dose do antibiótico em 50% imediatamente e o paciente terá os mesmos resultados e reações que teriam se estivessem tomando a dose plena da medicação.”

Afinal, você deve fumar maconha enquanto estiver tomando antibióticos?

Terry Roycroft sumariza: “No Centro de Recurso de Cannabis Medicinal, nós temos pacientes tomando antibióticos e nós não dizemos para que eles interrompam o seu consumo de cannabis. Não há grandes problemas em misturar antibióticos e cannabis, mas você poderá experimentar efeitos colaterais da medicação de uma maneira mais acentuada.”

Em algumas situações, os médicos usarão o que sabem sobre as interações da grapefruit como guia para cannabis. Se houver alguma contra indicação com grapefruit, você não poderá associar a medicação prescrita com maconha.

Se você ainda tiver dúvidas, pergunte ao seu médico qual a recomendação dele, o aconselhamento médico deve sempre vir de um profissional.

Fonte: https://420intel.com/articles/2018/05/25/can-you-smoke-marijuana-while-taking-antibiotics?utm_source=420+Intel+-+Marijuana+Industry+News&utm_campaign=dadfa2d81c-420+Intel&utm_medium=email&utm_term=0_3210cbef52-dadfa2d81c-278277101

Shoulder Bag de Cânhamo do Dr. Banz
Shoulder Bag de Cânhamo do Dr. Banz
Marcha da Maconha Santo André 2018

Marcha da Maconha Santo André 2018

No dia 02 de junho a galera do Dr Banz esteve presente na Marcha da Maconha de Santo André! Foi muito positivo ver a movimentação da galera, que se organizou, se reuniu e protestou pela liberdade em escolher o que é melhor para si mesmo sem receio de repressão, preconceito da sociedade e principalmente respeitando para ser respeitado!

A Marcha rolou com tranquilidade sem nenhum problema, antes do bloqueio da rua, a polícia passou, viu que estavam todos tranquilos, sem algazarra e sem tumulto. As pessoas foram chegando após às 14hs e aos poucos iam se agrupando para aquele BANZA de respeito que teve o peso do grito da legalização que todos nós carregamos no peito!

Teve música, (rolaram diversos sons que falavam diretamente com a ocasião: “Legalize Já (Planet Hemp)”, “Legalize It! (Peter Tosh)”, “Smoke Two Joints (Sublime)”, dentre muitos outros…), teve arte (com a galera grafitando ao vivo enquanto a concentração da Marcha ia crescendo), teve política (com gritos de legalização para o uso medicinal e social/ recreativo) e teve moda (com a Dr Banz Shoulder Bag de cânhamo + algodão!), ou seja, uma manifestação pacífica, com posicionamento político definido e principalmente alto esclarecimento cultural!

 

A Marcha da Maconha é o nosso momento de valorizar a cultura cannábica, celebrar a MACONHA e todos os aprendizados que ela nos traz e principalmente lutar pelos nossos direitos! Somente se nos unirmos e nos organizarmos cada vez mais, teremos a chance de mostrar a força do movimento, alertando para os benefícios que a legalização pode proporcionar aos pacientes que fazem uso de cannabis medicinal e também a todos do uso social, portanto, marque aquele seu amigo que curte um banza, mas não saiu do armário e perdeu a chance de participar de um evento tão bacana como a Marcha da Maconha.

Seja na Av. Paulista, no ABC de SP, em outros estados, ….é um evento histórico e faz muito bem quem participa e apóia o movimento de legalização da cannabis em todo o Brasil!

Conversou conosco na Marcha? Adquiriu sua Shoulder Bag? Descolou seu adesivo do Dr Banz? Brisou conosco? Marque o @doctorbanz e siga nossos posts, vem muita coisa bacana por aí!

Banzai!

Sublime

Sublime

I smoke two joints in the morning
I smoke two joints at night
I smoke two joints in the afternoon
It makes me feel alright
I smoke two joints in time of peace
And two in time of war
I smoke two joints before I smoke two joints
And then I smoke two more.

(Smoke Two Joints – Sublime, 1992)

Sublime é uma banda formada em Long Beach, California em 1988. Eles misturavam vários estilos musicais, como rock, ska, punk, reggae e seus fãs se identificaram rapidamente com seu estilo de vida: surf, skate e maconha. Muitas de suas músicas falavam sobre o uso e os efeitos da cannabis e eles costumavam fumar um banza durante seus shows.

Com a morte do vocalista Bradley Nowell em 1996, por overdose de heroína, a banda encerrou as atividades com apenas 3 discos de estúdio, o último lançado 2 meses após sua morte. Em 2009 os membros remanescentes decidiram se reunir com um novo vocalista e guitarrista, Rome Ramirez. Mas por problemas com direitos de uso do nome, a banda passou a se chamar Sublime With Rome.

Curiosidade canábica: Em 2014 o Sublime acusou integrantes de outra banda, o Linkin Park, de denunciá-los para a polícia, depois que a maconha do grupo foi apreendida durante um show no Arizona. “O Linkin Park chamou a polícia dizendo que são alérgicos a fumaça de maconha, os policiais vieram e levaram toda a nossa erva enquanto estávamos no palco”, escreveu o vocalista Rome em sua conta no Twitter. Mike Shinoda, vocalista e tecladista do Linkin Park, negou envolvimento dos músicos no incidente: “Não sei de onde surgiu essa história. Definitivamente não é o meu estilo, chato que tenha acontecido”. Mas no final tudo foi resolvido. Na verdade foi um segurança do Linkin Park que fez a denúncia sem conversar com a banda antes. Eles ficaram chateados com o ocorrido e se ofereceram para repor a erva confiscada.


Sublime With Rome
Sublime With Rome em SP – 14/09/2018

Wow! Sublime With Rome confirmou show em São Paulo no dia 14 de Setembro de 2018 na Audio Club. Os ingressos já estão à venda!

https://www.ticket360.com.br/evento/8910/sublime-with-rome

Banzai!

Dr Banz no Festival Path 2018

O que rolou sobre Cannabis no Festival Path 2018?

Nos dias 19 e 20 de maio, a equipe do Dr Banz esteve presente no #Path2018, um dos maiores festivais de inovação e criatividade do Brasil. Em sua 6ª edição, o Festival Path 2018 ofereceu a estudantes, profissionais e empresas que buscam inovar a forma de pensar e agir, palestras, shows, filmes e mais atividades que fizeram do Path uma experiência rica em educação, entretenimento e negócios, conectando a comunidade criativa de todo o país.

A pauta cannábica esteve presente em 4 palestras que acompanhamos de perto: A conexão com o Eu através da maconha, depois de alguns imprevistos, teve a participação de Dada Yute, vocalista da banda Leões de Israel e Marcelo Schenberg, fundador do Instituto Plantando Consciência, debateram sobre conexões espirituais com o uso da maconha.

O uso da maconha só vale se for medicinal?, teve a moderação do cientista catarinense com 15 anos de experiência na área de psicofarmacologia de canabinóides, Fabrício Pamplona e o debate entre Felipe Anghinoni, fundador da Perestroika, escola de atividades criativas e Gilberto Castro, ativista e paciente de Cannabis medicinal para o tratamento de esclerose múltipla. Falaram sobre suas experiências com o uso da Cannabis, quais perspectivas para o uso medicinal e social da planta.

No domingo, 20/maio, acompanhamos outras duas palestras cannábicas: A modernização da agricultura pelo cultivo de Cannabis, onde os palestrantes Lorenzo Rolim, engenheiro agrônomo da Bedrocan, uma das maiores empresas de plantio de Cannabis medicinal do mundo e Conny De Wit, diretora financeira e comercial da SBW do Brasil, empresa que atua no plantio de mudas micropropagadas, falaram sobre o status atual das duas empresas e como estão preparados para atuar fortemente no segmento cannábico quando finalmente tivermos a legalização.

E fechando o ciclo cannábico do Path 2018, um debate esclarecedor sobre Direitos Civis Cannábicos: o que está em jogo para toda sociedade, onde o mediador Cristiano Maronna, Secretário Executivo da Plataforma Brasileira de Política de Drogas e os palestrantes Margarete Brito, líder e co fundadora da APEPI (Apoio à Pesquisa e Pacientes de Cannabis Medicinal) e o incansável Dr. Emilio Figueiredo, advogado da rede jurídica, Reforma da Política de Drogas. Uma palestra enriquecedora que debateu os caminhos percorridos pelo direito cannábico até agora, conquistando importantes vitórias legais em forma de Habeas Corpus e Salvo Condutos, a pacientes de diversas patologias que dependem do uso medicinal da maconha.

A frase que mais marcou o capítulo cannábico do Path2018, foi do próprio Dr. Emilio Figueiredo: “A legalização vai acontecer quando nós quisermos! Quando nos mobilizarmos de maneira organizada e protestarmos pelos nossos direitos!”

A interação com o público nas palestras foi de vital importância para o movimento cannábico, o debate, a troca de ideias e o esclarecimento de dúvidas em diversas áreas do movimento cannábico, são fundamentais para que as pessoas tenham cada vez menos inseguranças e incertezas quando o assunto for MACONHA e o Dr Banz estará atento e pronto para multiplicar todo esse conhecimento para vocês!

Banzai Path 2018!

Palestras Cannabis Festival Path 2018
Palestras sobre Cannabis no Festival Path 2018

Conheça mais sobre o festival e os palestrantes: @festivalpath @dadayute @fanghinoni @playmogilgr @lorenzorolim @plataformapbpd @familiaapepi @reformadrogas

X
Add to cart