Dr Banz no Festival Path 2018

O que rolou sobre Cannabis no Festival Path 2018?

Nos dias 19 e 20 de maio, a equipe do Dr Banz esteve presente no #Path2018, um dos maiores festivais de inovação e criatividade do Brasil. Em sua 6ª edição, o Festival Path 2018 ofereceu a estudantes, profissionais e empresas que buscam inovar a forma de pensar e agir, palestras, shows, filmes e mais atividades que fizeram do Path uma experiência rica em educação, entretenimento e negócios, conectando a comunidade criativa de todo o país.

A pauta cannábica esteve presente em 4 palestras que acompanhamos de perto: A conexão com o Eu através da maconha, depois de alguns imprevistos, teve a participação de Dada Yute, vocalista da banda Leões de Israel e Marcelo Schenberg, fundador do Instituto Plantando Consciência, debateram sobre conexões espirituais com o uso da maconha.

O uso da maconha só vale se for medicinal?, teve a moderação do cientista catarinense com 15 anos de experiência na área de psicofarmacologia de canabinóides, Fabrício Pamplona e o debate entre Felipe Anghinoni, fundador da Perestroika, escola de atividades criativas e Gilberto Castro, ativista e paciente de Cannabis medicinal para o tratamento de esclerose múltipla. Falaram sobre suas experiências com o uso da Cannabis, quais perspectivas para o uso medicinal e social da planta.

No domingo, 20/maio, acompanhamos outras duas palestras cannábicas: A modernização da agricultura pelo cultivo de Cannabis, onde os palestrantes Lorenzo Rolim, engenheiro agrônomo da Bedrocan, uma das maiores empresas de plantio de Cannabis medicinal do mundo e Conny De Wit, diretora financeira e comercial da SBW do Brasil, empresa que atua no plantio de mudas micropropagadas, falaram sobre o status atual das duas empresas e como estão preparados para atuar fortemente no segmento cannábico quando finalmente tivermos a legalização.

E fechando o ciclo cannábico do Path 2018, um debate esclarecedor sobre Direitos Civis Cannábicos: o que está em jogo para toda sociedade, onde o mediador Cristiano Maronna, Secretário Executivo da Plataforma Brasileira de Política de Drogas e os palestrantes Margarete Brito, líder e co fundadora da APEPI (Apoio à Pesquisa e Pacientes de Cannabis Medicinal) e o incansável Dr. Emilio Figueiredo, advogado da rede jurídica, Reforma da Política de Drogas. Uma palestra enriquecedora que debateu os caminhos percorridos pelo direito cannábico até agora, conquistando importantes vitórias legais em forma de Habeas Corpus e Salvo Condutos, a pacientes de diversas patologias que dependem do uso medicinal da maconha.

A frase que mais marcou o capítulo cannábico do Path2018, foi do próprio Dr. Emilio Figueiredo: “A legalização vai acontecer quando nós quisermos! Quando nos mobilizarmos de maneira organizada e protestarmos pelos nossos direitos!”

A interação com o público nas palestras foi de vital importância para o movimento cannábico, o debate, a troca de ideias e o esclarecimento de dúvidas em diversas áreas do movimento cannábico, são fundamentais para que as pessoas tenham cada vez menos inseguranças e incertezas quando o assunto for MACONHA e o Dr Banz estará atento e pronto para multiplicar todo esse conhecimento para vocês!

Banzai Path 2018!

Palestras Cannabis Festival Path 2018
Palestras sobre Cannabis no Festival Path 2018

Conheça mais sobre o festival e os palestrantes: @festivalpath @dadayute @fanghinoni @playmogilgr @lorenzorolim @plataformapbpd @familiaapepi @reformadrogas

Maconha na América Latina

A maconha na América Latina

Subsidiária da HempMeds fornece CBD para estudos em universidade brasileira
Fonte: http://420intel.com (29/03/2018)

A primeira empresa de maconha de capital aberto dos Estados Unidos, HempMeds, anunciou resultados positivos do simpósio sobre cannabis de sua subsidiária brasileira, realizado no Rio Grande do Sul. O evento foi realizado de 19 à 23 março, em parceria com a ANUC (Associação Nacional de Usuários de CBD), na cidade de Canoas, Passo Fundo e Porto Alegre. No evento, o Dr. Stuart Titus da Medical Marijuana Inc., palestrou sobre os benefícios do CBD e sobre oportunidades e potencial de pesquisas no Brasil.

Panamá abre as portas para a legalização da cannabis medicinal com proposta de lei
Fonte: http://420intel.com (15/03/2018)

A política que rege o uso da cannabis medicinal na América Latina vem evoluindo. Poucos países das Américas Central e do Sul permitem o uso da cannabis medicinal e óleo contendo CBD para vítimas de epilepsia, náusea, falta de apetite, vômito induzido por quimioterapia e dores e espasmos musculares causados pelo HIV. Nos últimos anos, observa-se reformas (em diversos níveis) na política de substâncias controladas em diversos países. O uso da cannabis para uso terapêutico já é uma realidade em alguns países sul-americanos e agora o Panamá inicia suas tratativas para legalizar o uso medicinal.

Países sulamericanos concedem permissões para cultivo de marijuana medicinal
Fonte: http://420intel.com (29/01//2018)

2017 será o ano que ficará na história como o ano onde houveram os maiores avanços na comunidade global da cannabis. Enquanto ainda há um longo caminho a ser percorrido, a onda da legalização, especificamente na área medicinal, atingiu muitos parlamentos ao redor do mundo. E claro que isso também se aplica a América do Sul, forçando o debate da legalização na agenda parlamentar da Argentina, Chile, Porto Rico, Colômbia e México descriminalizando o uso da cannabis medicinal e tendo no Uruguai como maior expoente, legalizando uso medicinal e recreativo/social.

Índices criminais caem no Uruguai, mas sofrem com venda ilícita de cannabis para turistas
Fonte: http://420intel.com (29/01/2018)

“Nós passamos a ideia de ser um país de vanguarda e o turista estrangeiro chega aqui e não pode comprar erva?”, disse um especialista de cannabis. Com os meses do verão se aproximando e os turistas chegando, o Uruguai receberá mais do que meia dúzia de mochileiros que vieram ver o início da jornada de legalização no ano de 2017 e até agora a lei se aplica apenas aos residentes. Esse impulso que a indústria cannabica pode dar na economia do país não pode passar em branco.

Colômbia busca se tornar líder em exportações globais de cannabis medicinal em 2018
Fonte: http://420intel.com (12/01/2018)

Colômbia pode fornecer 44% da demanda global de maconha medicinal ainda em 2018, após o board de diretores do Fundo de Controle de Drogas autorizar a colheita de 40,5 toneladas de maconha para exportação.

Congresso do Paraguai legaliza o plantio de maconha medicinal
Fonte: http://420intel.com (06/12/2017)

Congresso paraguaio aprovou uma lei criando o sistema de incentivo do governo para importação de sementes de maconha e plantio da erva para fins medicinais, a decisão acompanha a tendência de outros países da América Latina. O país já havia autorizado a importação do óleo de cannabis em Maio/17, sob controle do ministério da saúde. A autorização do plantio foi celebrada por pais e filhos que fazem uso medicinal da maconha. “Estamos felizes porque além do óleo, agora também poderemos importar sementes para o plantio e garantir a futura extração do óleo”, disse Roberto Cabañas, vice-presidente da Organização Paraguaia de Cannabis Medicinal, cuja filha é portadora da síndrome de Dravet. Sua família gastava US$300 mensais para a importação do óleo.

Peru é o mais recente país da América do Sul a legalizar a maconha medicinal
Fonte: http://420intel.com (20/11/2017)

O presidente do Peru assinou uma lei de âmbito nacional, legalizando o uso medicinal da cannabis em um momento histórico após a aprovação do congresso peruano. A legalização permite a posse, venda e transporte de maconha para fins medicinais, porém seu plantio ainda é ilegal. O governo criará uma lista oficial de importadores e cultivadores autorizados a fornecer aos pacientes, que tiverem uma prescrição médica para doenças como Parkinson, câncer, epilepsia e outras doenças crônicas ou terminais.

Canabinóides mais importantes

Canabinóides mais importantes

Até hoje pesquisadores já identificaram mais de 421 elementos químicos, sendo 63 tipos de canabinóides diferentes que exercem influência específica dentro do organismo de cada pessoa.

Independente de qual seja o uso da cannabis, social ou medicinal, algumas substâncias encontradas na erva possuem maior ou menor participação no efeito desejado. São os famosos canabinóides. Vamos conhecer os mais famosos?

CBD X THC
CBD X THC

THC (TETRAHIDROCANABINOL)

Tetrahidrocanabinol, o mais conhecido dos canabinóides por seu efeito psico ativo, pode proporcionar alterações fisiológicas (frequência cardíaca, pressão arterial, boca e garganta seca, aumento do apetite, dentre outros) e comportamentais (relaxamento, euforia, percepção do tempo, humor, etc…).

Saúde: por ter atuação no sistema nervoso central, o THC se liga a receptores canabinóides que todos nós possuímos (CB1 e CB2) e pode contribuir na amenização de dor crônica, de espasmos musculares causados por esclerose múltipla, além de reduzir náusea e vômitos causados por quimioterapia.

CBD (CANABIDIOL)

O Canabidiol não possui efeito psicoativo, mas em sua forma isolada já demonstrou evidências que possui efeito fisiológico pronunciado, promovendo relaxamento e efeito sedativo. Com isso seu efeito terapêutico é amplamente discutido pois promove melhora em uma série de doenças como epilepsia, artrite reumatoide, Parkinson, insônia dentre muitas outras.

CBN
CBN

CBN (CANABINOL)

O Canabinol possui efeito psicoativo de menor intensidade isoladamente, mas quando em companhia de outros canabinóides, por exemplo, potencializa os efeitos do THC, causando a famosa “leseira” (torpor) e baixa sedação. Também potencializa os efeitos do CBD, aumenta seu efeito sedativo, já demonstrou potencial no tratamento da Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA) e na proliferação de algumas bactérias resistentes a antibióticos.

THCA X THC
THCA X THC

THCA (ÁCIDO TETRAHIDROCANABINOLICO) 

O THCA não possui propriedade psicoativa, talvez por isso seja menos conhecido, mas pesquisas recentes começam a se aprofundar cada vez mais em suas propriedades que vem demonstrando maior valor medicinal. O THCA surge através da oxidação do THC (através do aquecimento da erva e da secagem das flores da cannabis), talvez por isso explique o porquê do uso da maconha ser mais comum através do fumo ou vaporização, o que gera aumento na concentração do THC.

Quer conhecer mais sobre os outros canabinóides?

Dê um salve nos comentários e abordaremos outros canabinóides e seus papéis que podem contribuir para melhora de seu estado mental ou físico!

Fontes: http://www.unitedpatientsgroup.com/blog/2014/04/11/thc-thca-cbd-cbn-the-chemicals-in-cannabis/
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3570572/

X
Add to cart