Dr Banz - Legalizou na NBA

Legalizou na NBA?

Salve Banzers!

A normalização da maconha avançou de fato em mais um grande território. Mas um que sempre foi contra o consumo da maconha e hoje compreende e quer entender mais sobre o assunto.

A NBA, National Basketball Association, durante toda a temporada da 2020/2021 que iniciou no mês de dezembro, não testará seus jogadores para o uso de maconha!

No anúncio oficial, foi declarado “em comum acordo com a Associação dos Jogadores, em virtude dos tempos de isolamento causados pela pandemia do COVID-19, a liga anuncia que não testará seus jogadores aleatoriamente para o consumo de cannabis, focando seus testes apenas para drogas de melhora de performance”, disse Mark Bass, porta voz da poderosa NBA.

Os testes para o consumo de maconha na NBA eram feitos de maneira aleatória e agentes da entidade vinham coletar amostras dos jogadores para o teste. Sobretudo para reduzir o número de contatos DESNECESSÁRIOS, os testes foram interrompidos.

Vale lembrar que a NBA foi a primeira liga de esportes profissionais a interromper suas atividades no início da pandemia. Mas tomaram todas as precauções para o retorno isolando todos os atletas e times na cidade de Orlando na Florida, criando a chamada NBA Bubble (bolha da NBA). Controlando rigidamente o acesso de pessoas para dentro e fora da bolha. O que comprovou efetividade e sucesso até o final do campeonato da temporada 2019/2020.

E existem especulações que os testes surpresa de cannabis não voltarão mais. E que a NBA dará um importante passo na mudança de mentalidade das grandes organizações esportivas em relação à maconha.

A liga de baseball, a MLB (Major League of Baseball), foi a mais progressista e retirou a cannabis da sua lista de substâncias proibidas.

Já a NFL, liga de futebol americano, alterou sua política de uso de cannabis para “apenas multa” e não mais a suspensão do atleta… (passando vergonha sozinha hein NFL?)

Se empresas que movimentam volumes monstruosos de dinheiro que envolvem contratos publicitários milionários e salários e contratos estratosféricos, passa a mensagem que “não há problema se seus funcionários consomem maconha, porque sua performance no trabalho é cada vez melhor e a rentabilidade consegue aumentar mesmo em tempos de pandemia”, temos um excelente exemplo de troca de mentalidade corporativa e principalmente respeito às decisões individuais de cada pessoa.

BANZai!

Fontes: 0102 e 03

Eco Shoulder Bag
Eco Shoulder Bag
Africa Unite

Africa Unite!

Olá queridos Banzers!
A África do Sul é a mais nova integrante do grupo de países que legalizaram cannabis para consumo pessoal. A suprema corte sul africana, autorizou o uso de cannabis para adultos, em locais particulares, assim como o cultivo para consumo próprio.

“Não será considerada ofensa criminal para uma pessoa adulta consumir ou possuir cannabis para seu uso particular e privado”. Raymond Zondo, Ministro da Justiça.

“Obviamente essa é apenas a primeira porta se abrindo, temos dois anos de prazo para definir os detalhes e normativas da nova lei. O primeiro passo é retirar a dagga (maconha no dialeto local), da lista de substâncias ilícitas para produzirmos medicamentos relacionados”. Jeremy Arecton, líder do Dagga Party.

Enfim, a África do Sul é apenas o terceiro país do continente a legalizar o consumo da cannabis de alguma forma. O primeiro país africano a legalizar o cultivo de cannabis para o uso medicinal e pesquisa, foi Lesotho, em 2017. Logo depois, em abril de 2018, o Zimbábue também legalizou o consumo da cannabis em seu território. De fato, a produção de maconha em todo o continente é abundante e gira em torno das 10.000 toneladas anuais.

Banzai, Dagga!

Africa Unite

Shoulder Bag de Cânhamo do Dr. Banz

EUA pedem mais cannabis e menos opióides em 2019

EUA pedem mais cannabis e menos opióides em 2019

Menos opióides e mais maconha!

Realmente as coisas andam progredindo na cena cannábica americana e por consequência influenciam e pressionam outros governos, já que em Agosto de 2018, o Departamento de Justiça (DOJ) e a Agência de Controle de Drogas (DEA), anunciaram via press-release seus novos objetivos para 2019:

Reduzir em 10% a produção americana dos 6 opioides com maior registro de abusos.

Essa ação faz parte, sobretudo, de um plano do governo daquele país que busca a redução de prescrições em 1/3 nos próximos 3 anos. São eles:

  • Oxycodona
  • Hidrocodona
  • Oxymorfona
  • Hidromorfona
  • Morfina
  • Fentanyl

Adicionalmente, o DEA solicitou para o próximo ano 5 vezes mais cannabis para pesquisa. Em 2018 foram 454 kg e para 2019 foram solicitados 2.450 kg !!!

DEA solicita mais cannabis para pesquisas

Enquanto isso, ativistas do uso medicinal da cannabis dizem que essa quantidade de maconha para pesquisa poderia ser investida nos esforços para redução de consumo de opióides. De fato, estudos mostram que índices de overdose desses potentes analgésicos caem consistentemente em estados onde o uso medicinal para dor crônica e severa já é legalizado.

Só não vê quem realmente não quer! Banzai!

Shoulder Bag de Cânhamo do Dr. Banz

X
Add to cart