Dr Banz - Estudo clínico c4nábico na França

Estudo clínico c4nábico na França

Salve Banzers!

Boas notícias vindas do Velho Continente, que certamente mostram uma nova perspectiva de governos antes conservadores, pesquisando sobre os benefícios do uso medicinal da c4nnabis.

O governo francês, através do Ministério da Solidariedade e Saúde, lançou um estudo clínico que tem como objetivo coletar dados sobre a EFICÁCIA e SEGURANÇA do uso terapêutico da c4nnabis.

O estudo está sendo conduzido pela ANSM (Agence Nationale de Sécurité du Médicament et des Produits de Santé), a Agência Nacional de Segurança de Medicamentos e produtos para Saúde, que primeiramente através de um programa de seleção, escolheu algumas empresas para o fornecimento dos medicamentos, sem custo algum ao governo.

O fornecimento gratuito da medicação é uma maneira de ganhar credibilidade não apenas na França, mas também em outros grandes mercados da União Europeia.

Os pacientes participantes no estudo clínico francês, foram selecionados através do diagnóstico de algumas condições:

  • Alguns tipos de epilepsia severa resistente a medicamentos convencionais;
  • Pacientes de câncer, para administração dos sintomas;
  • Dor neuropática severa, resistente a terapias tradicionais;
  • Situações de cuidado paliativo;
  • Patologias do sistema nervoso central.

Os produtos fornecidos pelo governo aos 3.000 pacientes participantes, são formulações base óleo e flores secas para vaporização, entregues através de 215 postos de saúde espalhados pela França.

Um programa obrigatório de educação voltada a médicos e farmacêuticos está em operação em todo o país.

Apesar de aprovado para início das atividades em 2019, por motivos da pandemia do Covid-19, foram postergados e iniciaram em abril/21 e os primeiros resultados dessa excelente iniciativa francesa estão previstos para o segundo semestre de 2023!

“É papel da medicina lutar contra doenças e aliviar a dor. Como médico e como ministro da Saúde, estou orgulhoso da França poder pesquisar o uso medicinal da c4nnabis e assim apoiar milhares de pacientes que enfrentam doenças severas”, Olivier Véran, Ministro da Saúde e Solidariedade da França.

Ulálá! Alle France!

BANZ-ai!

Fontes: 01 e 02 e 03

Eco Shoulder Bag
Eco Shoulder Bag
Dr Banz - 8 povos antigos chegados na erva

8 povos antigos chegados na erva

Salve Banzers!

Que tal uma viagem no tempo, viagem de conhecimento, viagem de banza para normalizar a pauta cannábica e conhecer um pouco da relação da erva com 8 povos antigos ao longo da história?

Por milhares e milhares de anos, culturas antigas usavam a cannabis como remédios, material de construção, tecidos e até para espantar a tristeza. Vamos conhecer esses povos que apesar de serem do passado, estavam realmente adiante de seu tempo aproveitando os benefícios da cannabis.

1- Povos Antigos: BABILÔNIA

Dr Banz - 8 povos antigos chegados na erva

A palavra para maconha na antiga Babilônia era azullu, importavam a erva das regiões vizinhas (que seria o Afeganistão hoje) e a usavam para tratar a depressão e como ingrediente em remédios;

2- Povos Antigos: EGITO

Dr Banz - 8 povos antigos chegados na erva

A primeira menção à cannabis registrada no Egito, data de 2350 A.C. e usavam um hieróglifo chamado shemshemet para se referir à maconha. Era usado como medicamento e era vendido em farmácias da época. Registros falam que era usada para curar mulheres com mau humor;

3- Povos Antigos: ÍNDIA

Dr Banz - 8 povos antigos chegados na erva

Os povos antigos da Índia importavam maconha dos mesmos comerciantes dos banzers da Babilônia. Em textos antigos há registros que documentam o uso medicinal para o tratamento de ansiedade e outras desordens. A palavra indiana para maconha na época é a famosa ganjha;

4- Povos Antigos: GRÉCIA

Dr Banz - 8 povos antigos chegados na erva

Culturas da antiga da Grécia registram os primeiros banhos de vapor, mas não era vapor de água e sim de fumaça de maconha, ou seja, os criadores da sauna;

5- Povos Antigos: ROMA

Dr Banz - 8 povos antigos chegados na erva

Os romanos antigos certamente eram chegados na erva e há toneladas de comprovações históricas. A cannabis era usada para o tratamento de queimaduras, tumores e inflamações, mas também era usada na culinária de sobremesas para promover momentos de risos e descontração em festas;

6- Povos Antigos: CHINA

Dr Banz - 8 povos antigos chegados na erva

Um dos primeiros povos a exportar cânhamo, que era cultivado para produção de papel, cestos e vários produtos relacionados. Além do tradicional cultivo para uso medicinal, a cannabis foi um dos produtos mais comercializados na antiga Rota da Seda. Que fazia o comércio entre Oriente e Ocidente;

7- REPÚBLICA TCHECA

Dr Banz - 8 povos antigos chegados na erva

O artefato de cannabis mais antigo encontrado no mundo foi uma corda na República Tcheca, que datava de 26900 A.C. Não se sabe se os povos da região cultivavam outras formas de cannabis, mas definitivamente conheciam sua utilidade têxtil;

8- FRANÇA

Dr Banz - 8 povos antigos chegados na erva

Não é tão antigo assim, mas há comprovações que os exércitos do imperador Napoleão Bonaparte, trouxeram toneladas de cannabis do Egito para a França. Já que nos países muçulmanos não encontravam nenhum tipo de álcool. E a tropa precisava de uma brisa… conheceram haxixe e maconha… U lá lá!

E se formos adiante veremos que a cannabis tem relações históricas com muitos povos espalhados pelo mundo.

Muito menos nociva que outras drogas legalizadas no Brasil (álcool e tabaco, por exemplo), a maconha precisa se despir de todos os preconceitos que a rodeiam. Através de conhecimento para normalizar a questão cannábica no Brasil.

Frequência e sequência de informações, não vamos desistir, nossa vitória não será por acidente!

BANZai!

Fonte: 1

Shoulder Bag de Cânhamo do Dr. Banz

X
Add to cart