Cannabis Las Vegas Dr Banz

Fumei maconha legalizada em Las Vegas!

  • Cannabis Las Vegas Dr Banz
It’s Vegas, Banzers!

Fui para Las Vegas e tive uma experiência cannábica totalmente diferente da nossa realidade brasileira. Em 01 de julho de 2017, Nevada tornou-se o quinto estado norte-americano a legalizar a maconha recreativa. Faz pouco mais de um ano de legalização e o business está a todo vapor! Outdoors e publicidade de marcas e dispensários espalhados por toda a cidade! E apesar de ser proibido fumar na rua, eu sentia aquela marofa básica em vários momentos da minha viagem.

Cheguei num domingo de noite e na segunda às 10hs eu já estava na porta da MedMen, uma das lojas autorizadas a vender cannabis legalizada. A loja é linda! Considerada a Apple da maconha, ela é muito organizada e todos os funcionários totalmente preparados! Lá se encontra de tudo: flores (sativas, indicas, híbridas), pre-roll joints (bolados prontos para uso), vapes, vaporizer pens, óleos, tinturas, edibles (jelly gummies, cakes, brownies, etc) e até souvenirs (camisetas e squeezes).

Como era cedo e só tinha eu e mais uns 2 clientes na loja, consegui conversar bastante com o brother que me atendeu. Ele sabia tudo na ponta da língua e quando falei que era um turista brasileiro amante da erva, ele começou a me dar mais atenção ainda. “Nosso maior público são os turistas, que vêm em busca de cannabis legalizada. Eu sei dos problemas da cannabis no Brasil, então sinta-se à vontade, você está na loja dos seus sonhos!”, disse ele.

As compras

Como ia ficar apenas 1 semana na cidade, acabei levando 1 vaporizer pen (óleo) de Sativa Dominant (pra aguentar toda a programação que eu tinha planejado), 1 pre-roll joint de Sativa e 1 pre-roll joint de Indica. Os preços foram esses:

Pre-Roll Sativa Fuel OG 1gr = U$ 13,00 + tax
Pre-Roll Indica EBB Statemade 1gr = U$ 12,00 + tax
Vaporizer Pen Max Statemade = U$ 72,00 + tax

Se converter esses valores para reais, sai bem caro! Mais ou menos o equivalente aos preços das strains tops que achamos aqui no Brasil.

Depois desse rolê na MedMen, passei por vários outros dispensários apenas para conhecer. Existem vários espalhados pela cidade, inclusive um no meio do calçadão na Fremont Street em Old Downtown (centro antigo de Las Vegas). Alguns exemplos: Essence, The Grove, Reef, The Apothecarium, ReLeaf, Exhale, Blum, Wellness Center, Oasis, entre outros.

A maconha já se tornou um atrativo turístico: lojas vendendo souvenirs com a folha da maconha, como camisetas, bonés, leggings, bottons e etc. Tem até um museu interativo (Cannabition Cannabis Museum), que infelizmente não consegui ir pois estava com a programação apertada.

Uma coisa é certa. A cannabis está normalizada e movimentando a economia! E os turistas maconheiros como eu estão podendo curtir Las Vegas com a cabeça feita! Não tem experiência melhor do que apreciar aquela beleza do Grand Canyon totalmente brisado.

Mas quais são as regras para comprar cannabis em Vegas?

> Comprar maconha em Nevada só pode acontecer em um dispensário licenciado pelo estado. Na verdade, é ilegal comprar cannabis de qualquer outra fonte;

> Qualquer pessoa que deseje comprar maconha deve mostrar uma identidade para provar que tem 21 anos ou mais;

> Adultos podem comprar até 1 once (28 gramas) de maconha ou até 1/8 once (3,5 gramas) de maconha concentrada em forma de extrato;

> Você não pode usar maconha em nenhum espaço público e não pode usá-la em um veículo em movimento, mesmo que seja um passageiro;

> Você pode consumir apenas na sua casa, na casa do seu amigo e assim por diante, desde que o proprietário do imóvel não a tenha proibido;

> Nevada também permite que adultos cultivem maconha legalmente em casa para consumo pessoal, mas você não pode estar a menos de 40 km de um revendedor licenciado pelo estado. O limite é de 6 plantas por pessoa, mas não mais que 12 plantas por residência. As plantas também precisam ser cultivadas em uma área fechada que tenha uma trava ou outra forma de segurança, elas não podem ser visíveis de um espaço público;

> É ilegal para qualquer pessoa com menos de 21 anos comprar, possuir ou usar maconha de varejo.

Então quando você for para Nevada, já sabe das regras para aproveitar seu banza com responsabilidade e segurança.

Mas quer saber o melhor de tudo? Os pacientes que precisam da cannabis para uso medicinal, podem encontrar na esquina da sua casa!

E continuamos aqui a nossa luta pela legalização no Brasil.

Banzai!

Para saber mais sobre a MedMen, clique no link – https://medmen.com

Shoulder Bag de Cânhamo do Dr. Banz

Estudo científico comprova a efetividade do CBD nos distúrbios convulsivos

Estudo comprova eficácia do CBD nos distúrbios convulsivos

Excelentes notícias na área medicinal, Banzers!
Um estudo científico conduzido pela Universidade do Alabama Birmingham demonstrou que o CBD (cannabidiol) é um tratamento eficaz nos distúrbios convulsivos não tratáveis com métodos tradicionais.

Os resultados foram publicados no Jornal da Epilepsia e Comportamentos. De acordo com esse estudo, o CBD reduz efeitos adversos e severidade da convulsão. Há indícios que levem a crer que o CBD também promove redução na frequência das crises. Foram envolvidos 132 pacientes, 72 crianças e 60 adultos diagnosticados com epilepsia severa não responsiva a outras medicações.

Alguns resultados muito interessantes foram atingidos. Primeiramente, a frequência média de convulsões no início da pesquisa era de 144 crises no intervalo de 15 dias. Após 12 semanas sendo acompanhados no estudo, a média de crises reduziu para 52 no mesmo intervalo de 15 dias.

“É um resultado altamente significativo na redução do número de convulsões alcançada pela maioria dos pacientes, 2/3 de todos os participantes do estudo.” Professora Martina Bebin, do Departamento de Neurologia da Escola de Medicina do Alabama.

Esses excelentes resultados chegam juntos à aprovação do FDA para um medicamento industrializado de uma droga derivada da cannabis, o Epidiolex. (Saiba mais sobre esse medicamento nesse nosso post)

A torcida é grande para vermos cada vez mais comprovações científicas sob o mesmo ponto de vista.  Isso por que sem dúvida, elas nos ajudam a desmistificar o conceito errôneo que maconha só tem malefícios.

Banzai!

Estudo científico comprova a efetividade do CBD nos distúrbios convulsivos

Shoulder Bag de Cânhamo do Dr. Banz
Shoulder Bag de Cânhamo do Dr. Banz
5 grandes efeitos da legalização

Legalização – 5 grandes efeitos

Algumas lições foram aprendidas após a legalização (medicinal ou social), em alguns estados americanos onde esse importante passo já foi conquistado. Dos 50 estados americanos, 30 já legalizaram o uso medicinal em algum nível e 9 legalizaram o uso recreativo social.

Conheça agora 5 grandes lições aprendidas após a legalização em estados americanos:

1) CRESCIMENTO ECONÔMICO

Primeiramente, um fato que não pode ser questionado é o volume de dinheiro movimentado pela indústria cannábica. A empresa de análise de dados, New Frontier>, disse que se a cannabis fosse legalizada federalmente, poderia gerar US$ 132 Bilhões de dólares na próxima década e geraria surpreendentemente, 782.000 empregos no mesmo período.

 

2) REDUÇÃO DE CONSUMO DE DROGAS PRESCRITAS

Em 2014 o JAMA (Journal of the American Medical Association), publicou um estudo que mostra um declínio de 25% nos índices de overdose de opioides nos estados onde já ocorreu a legalização.

 

3) REDUÇÃO NO CONSUMO DE ÁLCOOL

Pesquisadores analisaram o consumo de álcool em estados onde houve a legalização e encontraram uma redução média de 12.4% nas vendas mensais de bebidas alcóolicas. Por exemplo, o vinho foi o mais impactado com quedas de 16,4% em suas vendas.

 

4) REFORMA DA JUSTIÇA CRIMINAL

O percentual de prisões relacionadas ao consumo de maconha caiu 56% após um ano de legalização na Califórnia. Pesquisas comprovam que departamentos de polícia foram muito mais eficientes no combate a crimes graves. Mas a principal mudança na reforma das leis, é a segunda chance que usuários condenados recebem da lei onde a maconha é legalizada. Eles podem conseguir sobretudo, empregos, moradia, votar e viver suas vidas normalmente.

 

5) O FIM DO ESTIGMA

Aquele olhar atravessado que as pessoas dão quando vêem alguém consumindo cannabis é muito incômodo. Por que ser criticado quando o ato em si representa apenas sua liberdade de escolha e suas crenças? Isso também vem mudando em estados onde a legalização aconteceu, em 1969 apenas 12% dos americanos apoiavam a legalização, em 2017 esse número subiu para 64%, segundo o instituto Gallup.

 

A experiência clínica e as histórias de indivíduos que se beneficiaram de alguma forma com a legalização medicinal da cannabis, certamente gerarão debates cada vez mais esclarecedores. Que poderão trilhar o caminho para a legalização da maconha de maneira mais ampla. E nós estaremos aqui com vocês para celebrar até perdermos vocês na fumaça branca!

Banzai!

Shoulder Bag de Cânhamo do Dr. Banz

Os 5 países com políticas de drogas mais promissoras das Américas

Os 5 países com políticas de drogas mais promissoras das Américas

Enquanto vivemos as patinadas da política brasileira em relação às drogas, outros países se movimentam (rapidamente!) em direção ao esclarecimento, conscientização e educação necessários para a legalização da maconha.

Que tal aprendermos com quem está fazendo bem e direito?

O Instituto Igarapé é um think tank independente, focado na Política de Drogas e Segurança. Seu objetivo é propor soluções inovadoras a desafios sociais complexos, por meio de pesquisas, novas tecnologias, influência em políticas públicas e articulação. Com base em seus estudos, listaram os 5 países com políticas de regulamentação de drogas mais progressistas do continente americano, vamos conhecê-los?

Uruguai

Foi o primeiro país do mundo a legalizar a maconha em nível federal (2013). Mesmo assim ainda enfrenta dificuldades estruturais, já que os distribuidores legais de maconha constantemente passam por desabastecimento. Dessa forma, acaba forçando os consumidores a buscarem o mercado informal.

Canadá

Fez história sendo o primeiro país membro do G7 a legalizar a maconha em nível federal. A lei entrou em vigor, a legalização aconteceu, os altos volumes financeiros continuam a subir e muitos aspectos (e ajustes) estão sendo observados por muitos outros países ao redor do mundo. A dúvida é: será que o Canadá vai efetivar suas promessas pré legalização como reduzir o acesso da cannabis aos jovens e manter consumidores afastados do mercado negro?

EUA

Atualmente dentre os 50 estados americanos, 30 possuem alguma forma de lei sobre a cannabis medicinal em seus autos. Nem o Congresso e muito menos o presidente Donald Trump legalizaram a nível federal a utilização da cannabis. Mas existe um número grande projetos circulando para votação no Congresso.

Colômbia

Sempre foi uma das líderes em testar novos approaches quanto a política de drogas. O país sofreu demais com a violência resultante do tráfico e nessa época a proibição não ajudou. Em 1994 a Colômbia tornou inconstitucional a criminalização do consumo de qualquer droga.

Chile

Em 2013 o governo chileno reconheceu os efeitos medicinais da cannabis. Em 2017 os chilenos podem cultivar até 6 plantas por residência e portar até 10 gramas de cannabis para consumo. Desde que tenham uma prescrição médica. De acordo uma publicação do Marijuana Business Daily, o Chile é um dos países com os maiores índices per capta de consumo de cannabis nas Américas.

Observando a realidade de quem está mais preparado (em todos os aspectos possíveis!) para uma legalização da cannabis e na reforma de sua política de drogas é que percebemos o abismo que nos distancia de todos eles. Ou seja, precisamos continuar debatendo sobre o assunto para não ficarmos para trás!

Conscientização, queridos banzers! Ela é a chave para levarmos informação a todos. Com a finalidade de fazermos que nossa causa seja encarada como séria, justa, necessária e vital. Para os amigos do uso medicinal e social da cannabis!

Banzai!

Shoulder Bag de Cânhamo do Dr. Banz

Dr Banz - Cannabis Made in China

Made in China

  • Dr Banz - Cannabis Made in China

Salve Banzer!

Olha aí uma curiosidade que pode surpreender muita gente!
Por exemplo, você sabia que metade da maconha plantada no mundo está na China?

China? Eita….

A história do cânhamo na China é muito antiga, algo em torno dos 12.000 anos (!!!). Atualmente, enquanto o uso da cannabis na China é ilegal, o cânhamo continua a desempenhar um papel importante na cultura e também na economia chinesa. De fato, já existem 606 pedidos de patente para produtos relacionados à cannabis no mundo, metade são de companhias chinesas.

“Como o uso medicinal da cannabis está sendo cada vez mais aceito no Ocidente, a predominância de pedidos de patentes registrados por empresas chinesas, sugere que ciências farmacêuticas estão se desenvolvendo mais rapidamente lá”, de acordo com o bioquímico canadense, Dr. Luc Duchesne.

Esse volume de conhecimento que vem se acumulando coloca os chineses numa posição privilegiada para abocanhar uma fatia considerável do mercado cannábico mundial. Atualmente já dominam a produção de cânhamo para tecido e fibras.

Apesar de todos esses avanços, a China permanece em silêncio, mas já vai cercando várias frentes do mercado. Empreendedores podem tomar um susto quando acordarem e de repente perceberem que o gigante vermelho acordou.

E o papel do Doctor Banz é enriquecer o conteúdo de todos os Banzers para que todos fiquem ligados no que rola no mercado!

Banzai!

Shoulder Bag de Cânhamo do Dr. Banz

A influência da indústria farmacêutica na legalização da cannabis

A influência da indústria farmacêutica na legalização da cannabis

Olá Banzer!

Você sabe que a indústria farmacêutica exerce grande influência na economia mundial e consequentemente na política e nas leis. Isso não é novidade para ninguém, certo? O que também não é segredo, é o lobby que a indústria farmacêutica sempre fez. Principalemente contra a legalização do uso medicinal (e também do recreativo) da cannabis. Tudo isso, com o propósito de proteger seus interesses em detrimento de possibilidades que melhorariam em muito a vida das pessoas.

Nos EUA, em estados onde a legalização do uso medicinal já aconteceu, só para exemplificar, observou-se uma queda de aproximadamente 11% no uso de medicamentos prescritos.

Um órgão acadêmico chamado The National Academy of Science, mantém um controle de doenças que podem ser tratadas com a utilização da cannabis e quase todas essas doenças representam uma fatia grande do bolo das Big Pharmas.

Dentre as doenças onde a cannabis passa a ser uma alternativa/ concorrente de medicamentos sintéticos estão: glaucoma, dor crônica, alguns distúrbios do sistema nervoso central, stress pós traumático, ansiedade, distúrbios do sono e náusea e vômitos provocados pela quimioterapia.

De fato, as Big Pharmas são incrivelmente poderosas e lucrativas em todo o mundo. Nos EUA, ao longo de 3 anos, estima-se que elas perderam US$ 18.5 bilhões na substituição de seus produtos. Pode-se pensar que essa quantia seja impactante. Mas a legalização da cannabis para fins medicinais em contraste com a atual receita da indústria, representaria muito pouco. Por consequência, não iria realmente balançar o império dos laboratórios farmacêuticos.

Pense nisso! Banzai!

Eco Shoulder Bag
Eco Shoulder Bag
33 países onde a cannabis medicinal é legalizada

33 países onde a cannabis medicinal é legalizada

Salve Banzers!

É importante lembrar que estamos ativos na luta pela legalização da cannabis medicinal, divulgando suas indicações e seus benefícios. Principalmente trazendo informações atualizadas sobre o andamento dessa onda global de consciência, compreensão e apoio à cannabis!

Alguns países já declararam entendimento sobre as características e benefícios do tratamento de diversas enfermidades com a utilização do uso terapêutico da cannabis e autorizaram seu uso, através de leis que garantem o acesso à qualidade e informação sobre o uso medicinal.

Mas você sabe onde a cannabis medicinal já foi legalizada?

Só para ilustrar, abaixo colocamos uma lista com 33 países que já deram luz verde para o uso medicinal da cannabis. Isto é, em algum nível de amplitude, por exemplo: para algumas doenças específicas, dosagens limite, algumas condutas específicas, etc…

1. Argentina 12. Alemanha 23. Holanda
2. Austrália 13. Grécia 24. Noruega
3. Canadá 14. Israel 25. Perú
4. Chile 15. Itália 26. Polônia
5. Colômbia 16. Jamaica 27. Romênia
6. Paraguai 17. Portugal 28. EUA*
7. Croácia 18. Lesoto 29. San Marino
8. Chipre 19. Luxemburgo 30. Suíça
9. República Tcheca 20. Macedônia 31. Turquia
10. Dinamarca 21. Malta 32. Uruguai
11. Finlândia 22. México 33. Zimbabue

*em alguns estados

Muitos países da América Latina figuram nessa lista dos 33 e é inegável o benefício medicinal da maconha. Com toda a certeza, a liberação traria qualidade de vida para muitos que hoje não o têm. Portanto,  cabe a pergunta: até quando nossos governantes e autoridades reguladoras farão vista grossa a uma realidade médica que vem beneficiando muitos pacientes em países vizinhos e ao redor de todo o mundo? 

Doctor Banz continuará na divulgação dos benefícios do tratamento com cannabis medicinal para várias patologias com a finalidade de fortalecer o discurso em prol da legalização da cannabis medicinal, garantindo o acesso à medicação e acima de tudo, a informação!

Vem com a gente! Banzai!

Bebidas com maconha

Bebidas com maconha

Bebidas infundidas com maconha possuem baixas calorias, são refrescantes, relaxantes e não dão ressaca. Quer convite melhor?

O negócio parece tão promissor que grandes companhias do ramo cannábico e do álcool já começam a produzir bebidas infundidas com cannabis. O universo das infusões é infinito. Quase tudo o que você imaginar presta-se a flavorizar bebidas. Basta escolher uma base destilada com teor alcoólico de pelo menos 40%, caso contrário, a bebida não “pega” as virtudes do ingrediente escolhido.

Grandes companhias cannábicas ponderam se o consumo ingerido em bebidas não ultrapassará o inalado muito em breve. Por quê? Porque bebidas infundidas com cannabis tem significativamente menos calorias que o álcool e se encaixam perfeitamente em situações sociais. Isso por que são discretas, não tem cheiro e principalmente por já existir o hábito em buscar uma brisa através da bebida.

Apesar de ser uma onda recente, existem registros históricos de bebidas infundidas com cannabis para fins medicinais datados do século passado. Porém, foram totalmente abolidos nos últimos 70 anos quando houve maior preocupação sobre seus efeitos psicoativos. Hoje já existem alguns produtos à venda como infusão de cannabis em chás, cafés, leites, cafés gelados. Mas ainda existem inúmeras possibilidades para bebidas alcóolicas também.

Muitos podem se perguntar: Mas eu vou ficar bêbado ou chapado? No caso das cervejas, ela conterá baixos percentuais de THC e CBD que proporcionarão uma brisa. Mas sem os efeitos pesados da ressaca…

Tendências do mercado cannábico mundial.

Mas sinceramente, o ato de dichavar, enrolar a piteira, acomodar todo mundo, deitar na seda, bolar magicamente, passar a goma e… Fogo na bomba, vão para onde?

Doctor Banz está na área, só chamar! Banzai!

Fonte: https://420intel.com/articles/2018/07/05/why-cannabis-drinks-are-future-cannabis-consumption

Shoulder Bag de Cânhamo do Dr. Banz

Proposta de legalização do cânhamo avança no Senado Americano

Proposta de legalização do cânhamo avança no Senado Americano

O cânhamo (hemp), prima da cannabis mas sem as propriedades psicoativas, havia sido considerada como ilegal desde 1937. Seu plantio foi banido e deu espaço para outros cultivos (como o algodão por exemplo) ao longo dos anos.

Na última quinta-feira, 28 de Junho de 2018, o Senado Americano aprovou o andamento do projeto de legalização do plantio do cânhamo para fins agrícolas! O projeto pede que o cânhamo seja retirado da lista de substâncias controladas e receba autorização para ser plantado e comercializado.

O senador pelo estado de Kentucky, Mitch McConnel, idealizador do projeto disse:

“Por muito, muito tempo, o governo impediu o cultivo de cânhamo e esse é o momento de cultivadores de meu estado se tornarem novamente líderes no plantio e produção de cânhamo.”

O comitê do Senado de Agricultura, Nutrição e Plantio, já deu parecer positivo sobre o alto potencial econômico do cânhamo. O projeto ainda passará por mais duas sessões de votação em outras esferas do governo. Para então chegar ao presidente Donald Trump para a legalização oficial de plantio e comercialização do cânhamo nos Estados Unidos.

Concluindo

Trata-se de um grande passo para que o cânhamo possa mostrar todo seu potencial de uso mais racional das reservas naturais do solo. Já que é ecologicamente muito mais vantajoso que o algodão na indústria têxtil. Portanto pode proporcionar recuperação de solos desgastados, pode ser convertido até em combustível, dentre muitas outras formas de utilização.

Você já conhece nossa Shoulder Bag feita a partir de uma mescla de tecido de cânhamo e algodão orgânico? Ela é super bonita e moderna. Perfeita para te acompanhar no dia a dia, nas viagens, nas baladas, onde quer que você vá e precise ter a certeza que todos os seus apetrechos estejam com você e bem guardados! Confira em nossa loja

O Dr Banz sempre estimulará o debate sobre temas do universo cannábico, seja ele sobre o uso medicinal, social e até mesmo o industrial. Traremos muita informação e conteúdo atualizado para que você seja um Banzer antenado que sabe o que fala!

Banzai!

Shoulder Bag de Cânhamo do Dr. Banz

Os benefícios do Cânhamo

Você conhece todos os benefícios do Cânhamo?

Hello BanzersSempre que discutimos os motivos por trás da legalização da maconha, falamos sobre os benefícios medicinais, sobre o consumo social/ recreativo mais seguro que o álcool, assim como medicinalmente é uma ótima alternativa aos opióides (drogas analgésicas muito potentes).

Falamos como o óleo de Canabidiol (CBD) pode ajudar a reduzir o número de crises de pacientes que sofrem de epilepsia, ajudar pessoas que passaram por algum trauma extremo a terem seus sintomas amenizados e como auxiliar no tratamento de câncer e dor crônica.

A legalização da maconha terá um impacto considerável na vida de muitas pessoas, sejam os que dependem dela medicinalmente e de outros tantos muitos (milhões!) que a consomem socialmente, mas um fator que jamais pode ser esquecido é o impacto a ser observado no meio ambiente.

Nos Estados Unidos, quando uma plantação ilegal é encontrada, ela não é simplesmente arrancada da terra ou queimada pelas forças policiais, após o processo de extermínio das plantas, para garantir que não haverá a mínima chance daquele terreno ser reaproveitado, pulverizam herbicidas extremamente potentes para desencorajar os cultivadores.

Esses herbicidas acabam penetrando e contaminando não apenas o solo, mas também lençóis de água que podem ser levados a rios e lagos.

O cultivo da cannabis legalmente poderia abrir portas para a produção de cânhamo, um dos plantios mais versáteis dessa terra do bom Jah!

Sabemos que o cânhamo pode originar alguns produtos como tecido, medicamentos e até combustível, mas você sabia que ele vai muito além disso? Pão, cereais, manteiga e proteína para consumo podem vir da casca da semente de cânhamo. Do óleo da semente pode-se produzir lubrificantes, tintas e cosméticos. A fibra dos galhos e troncos fornece produtos para vestuário (roupas, sapatos, inclusive a shoulder bag do Doctor Banz!), materiais de construção, papel, biocombustível, compostos plásticos e muito mais.

Apesar da maconha e o cânhamo serem variedades distintas da mesma planta cannabis sativa, o cânhamo não possui efeitos psicoativos, é geneticamente diferente da maconha e suas técnicas de cultivo também são bem particulares.

O impacto na vida das pessoas é o principal argumento dos ativistas e consumidores da cannabis quanto a sua legalização, mas não podemos deixar de considerar e conhecer o aspecto ambiental que a indústria do cânhamo poderia ter em nossas vidas.

Produtos a base de cânhamo
Produtos a base de cânhamo
Cânhamo - Calçados
Cânhamo – Calçados
Cânhamo - Alimentos
Cânhamo – Alimentos
Cânhamo - Cordas
Cânhamo – Cordas
Add to cart