Hollyweed Banzers - UFC Diaz Brothers

Hollyweed Banzers: UFC Diaz Brothers

  • Hollyweed Banzers - UFC Diaz Brothers

Hoje o post é pancadaria, Banzers!

Que os irmãos Nate Diaz e Nick Diaz são feras incontroláveis dentro e fora do octógano todos sabemos. Mas certamente um dos lances que mais admiramos nos Diaz Brothers é seu engajamento na causa cannábica. Eles banzam, vaporizam, bongam, tostam e tudo aos olhos de quem quiser ver, sem constrangimento porque é o lifestyle que eles adotaram.

“É o que escolhi para mim, eu gosto de fumar maconha, me ajuda com a ansiedade, me dá foco em treinamentos, me ajuda a liberar a minha essência”, disse Nicholas Robert Diaz (Nick), o mais velho dos irmãos hoje com 35 anos, atualmente ensina jiu-jitsu na academia do irmão Nathan Donald Robert (Nate), 33 anos, que disputava na divisão dos Pesos Leves do UFC.

Exames antidoping

Infelizmente, Nate cumpre suspensão de 5 anos por reprovar em níveis astronômicos num teste surpresa para verificar a presença de drogas.

Após sua luta contra Connor McGregor, Nate foi para a entrevista coletiva com uma vape pen de CBD e foi respondendo as perguntas entre um pega e outro até que foi questionado e mandou: “Isso aqui? (após dar vários pegas ao longo da entrevista), Isso aqui é óleo de CBD! Me ajuda no processo de recuperação, dor, inflamações. Sempre uso depois das lutas!”

E esse foi um excelente empurrãozinho que ajudou bastante naquele momento pré legalização no estado de Nevada.

De fato, o mais triste é ver um dos grandes lutadores de nossa geração não lutar por punição contra o uso de maconha!

Sempre que Nick era reprovado num teste, ele levava a situação de maneira engraçada. Mas com um questionamento que fez muita gente pensar:

“A comissão, o UFC, vocês preferem que eu me entupa de medicamentos opióides para me recuperar, para superar as dores? Isso é ridículo! Eu não posso cuidar do meu corpo como eu quero?!”

E seremos sempre admiradores dos irmãos Diaz, porque além de serem TRUE no lifestyle cannábico, defendem e são ativistas respeitados!

Banzai, Diaz Brothers!

Acessórios Dr. Banz

Brasil X Tailândia

Brasil X Tailândia


Salve Banzers!

O mundo realmente é um lugar muito doido. Enquanto no Brasil vivemos uma incerteza política e não sabemos como será o futuro da cannabis com a eleição do novo presidente, no governo militar da Tailândia, a própria polícia tailandesa entregou 100 kilos de cannabis apreendida para pesquisa científica.

Apesar de ser uma monarquia, a Tailândia é regida por um governo militar desde 2014. E lá, o consumo de qualquer tipo de droga é proibido e combatido duramente.

“A Organização Farmacêutica do Governo da Tailândia (OFT) pretende usar a maconha, que é uma planta que cresce bem no clima tailandês, para a pesquisa e desenvolvimento de um extrato medicinal e outros produtos farmacêuticos de alta qualidade.” disse Sophon Mekthon, chairman da OFT.

Um dos propósitos dessa pesquisa é desenvolver medicamentos à base de cannabis. Isso para que possam eventualmente substituir outras medicações com alto custo. Extratos, óleos, bálsamos, cremes, cápsulas, adesivos transdérmicos e gotas sub-linguais cannábicos são os objetivos da OFT. 100 kilos de cannabis podem gerar de 10 a 15 litros de extrato de cannabis concentrado para utilização medicinal.

O corpo legislativo do governo já teve inúmeros debates sobre a retirada da cannabis da lista de narcóticos ilegais e permitir o cultivo e pesquisa de cannabis com fins medicinais.

Agora veja se você já ouviu essa história em algum lugar. Em fevereiro de 2019 haverá uma nova tentativa de eleições na Tailândia. E de fato, os esforços para a legalização medicinal da cannabis estão em RISCO!

Que Jah nos proteja! Banzai!

Acessórios Dr. Banz

Cannabis Las Vegas Dr Banz

Fumei maconha legalizada em Las Vegas!

  • Cannabis Las Vegas Dr Banz
It’s Vegas, Banzers!

Fui para Las Vegas e tive uma experiência cannábica totalmente diferente da nossa realidade brasileira. Em 01 de julho de 2017, Nevada tornou-se o quinto estado norte-americano a legalizar a maconha recreativa. Faz pouco mais de um ano de legalização e o business está a todo vapor! Outdoors e publicidade de marcas e dispensários espalhados por toda a cidade! E apesar de ser proibido fumar na rua, eu sentia aquela marofa básica em vários momentos da minha viagem.

Cheguei num domingo de noite e na segunda às 10hs eu já estava na porta da MedMen, uma das lojas autorizadas a vender cannabis legalizada. A loja é linda! Considerada a Apple da maconha, ela é muito organizada e todos os funcionários totalmente preparados! Lá se encontra de tudo: flores (sativas, indicas, híbridas), pre-roll joints (bolados prontos para uso), vapes, vaporizer pens, óleos, tinturas, edibles (jelly gummies, cakes, brownies, etc) e até souvenirs (camisetas e squeezes).

Como era cedo e só tinha eu e mais uns 2 clientes na loja, consegui conversar bastante com o brother que me atendeu. Ele sabia tudo na ponta da língua e quando falei que era um turista brasileiro amante da erva, ele começou a me dar mais atenção ainda. “Nosso maior público são os turistas, que vêm em busca de cannabis legalizada. Eu sei dos problemas da cannabis no Brasil, então sinta-se à vontade, você está na loja dos seus sonhos!”, disse ele.

As compras

Como ia ficar apenas 1 semana na cidade, acabei levando 1 vaporizer pen (óleo) de Sativa Dominant (pra aguentar toda a programação que eu tinha planejado), 1 pre-roll joint de Sativa e 1 pre-roll joint de Indica. Os preços foram esses:

Pre-Roll Sativa Fuel OG 1gr = U$ 13,00 + tax
Pre-Roll Indica EBB Statemade 1gr = U$ 12,00 + tax
Vaporizer Pen Max Statemade = U$ 72,00 + tax

Se converter esses valores para reais, sai bem caro! Mais ou menos o equivalente aos preços das strains tops que achamos aqui no Brasil.

Depois desse rolê na MedMen, passei por vários outros dispensários apenas para conhecer. Existem vários espalhados pela cidade, inclusive um no meio do calçadão na Fremont Street em Old Downtown (centro antigo de Las Vegas). Alguns exemplos: Essence, The Grove, Reef, The Apothecarium, ReLeaf, Exhale, Blum, Wellness Center, Oasis, entre outros.

A maconha já se tornou um atrativo turístico: lojas vendendo souvenirs com a folha da maconha, como camisetas, bonés, leggings, bottons e etc. Tem até um museu interativo (Cannabition Cannabis Museum), que infelizmente não consegui ir pois estava com a programação apertada.

Uma coisa é certa. A cannabis está normalizada e movimentando a economia! E os turistas maconheiros como eu estão podendo curtir Las Vegas com a cabeça feita! Não tem experiência melhor do que apreciar aquela beleza do Grand Canyon totalmente brisado.

Mas quais são as regras para comprar cannabis em Vegas?

> Comprar maconha em Nevada só pode acontecer em um dispensário licenciado pelo estado. Na verdade, é ilegal comprar cannabis de qualquer outra fonte;

> Qualquer pessoa que deseje comprar maconha deve mostrar uma identidade para provar que tem 21 anos ou mais;

> Adultos podem comprar até 1 once (28 gramas) de maconha ou até 1/8 once (3,5 gramas) de maconha concentrada em forma de extrato;

> Você não pode usar maconha em nenhum espaço público e não pode usá-la em um veículo em movimento, mesmo que seja um passageiro;

> Você pode consumir apenas na sua casa, na casa do seu amigo e assim por diante, desde que o proprietário do imóvel não a tenha proibido;

> Nevada também permite que adultos cultivem maconha legalmente em casa para consumo pessoal, mas você não pode estar a menos de 40 km de um revendedor licenciado pelo estado. O limite é de 6 plantas por pessoa, mas não mais que 12 plantas por residência. As plantas também precisam ser cultivadas em uma área fechada que tenha uma trava ou outra forma de segurança, elas não podem ser visíveis de um espaço público;

> É ilegal para qualquer pessoa com menos de 21 anos comprar, possuir ou usar maconha de varejo.

Então quando você for para Nevada, já sabe das regras para aproveitar seu banza com responsabilidade e segurança.

Mas quer saber o melhor de tudo? Os pacientes que precisam da cannabis para uso medicinal, podem encontrar na esquina da sua casa!

E continuamos aqui a nossa luta pela legalização no Brasil.

Banzai!

Para saber mais sobre a MedMen, clique no link – https://medmen.com

Shoulder Bag de Cânhamo do Dr. Banz

Os 5 países com políticas de drogas mais promissoras das Américas

Os 5 países com políticas de drogas mais promissoras das Américas

Enquanto vivemos as patinadas da política brasileira em relação às drogas, outros países se movimentam (rapidamente!) em direção ao esclarecimento, conscientização e educação necessários para a legalização da maconha.

Que tal aprendermos com quem está fazendo bem e direito?

O Instituto Igarapé é um think tank independente, focado na Política de Drogas e Segurança. Seu objetivo é propor soluções inovadoras a desafios sociais complexos, por meio de pesquisas, novas tecnologias, influência em políticas públicas e articulação. Com base em seus estudos, listaram os 5 países com políticas de regulamentação de drogas mais progressistas do continente americano, vamos conhecê-los?

Uruguai

Foi o primeiro país do mundo a legalizar a maconha em nível federal (2013). Mesmo assim ainda enfrenta dificuldades estruturais, já que os distribuidores legais de maconha constantemente passam por desabastecimento. Dessa forma, acaba forçando os consumidores a buscarem o mercado informal.

Canadá

Fez história sendo o primeiro país membro do G7 a legalizar a maconha em nível federal. A lei entrou em vigor, a legalização aconteceu, os altos volumes financeiros continuam a subir e muitos aspectos (e ajustes) estão sendo observados por muitos outros países ao redor do mundo. A dúvida é: será que o Canadá vai efetivar suas promessas pré legalização como reduzir o acesso da cannabis aos jovens e manter consumidores afastados do mercado negro?

EUA

Atualmente dentre os 50 estados americanos, 30 possuem alguma forma de lei sobre a cannabis medicinal em seus autos. Nem o Congresso e muito menos o presidente Donald Trump legalizaram a nível federal a utilização da cannabis. Mas existe um número grande projetos circulando para votação no Congresso.

Colômbia

Sempre foi uma das líderes em testar novos approaches quanto a política de drogas. O país sofreu demais com a violência resultante do tráfico e nessa época a proibição não ajudou. Em 1994 a Colômbia tornou inconstitucional a criminalização do consumo de qualquer droga.

Chile

Em 2013 o governo chileno reconheceu os efeitos medicinais da cannabis. Em 2017 os chilenos podem cultivar até 6 plantas por residência e portar até 10 gramas de cannabis para consumo. Desde que tenham uma prescrição médica. De acordo uma publicação do Marijuana Business Daily, o Chile é um dos países com os maiores índices per capta de consumo de cannabis nas Américas.

Observando a realidade de quem está mais preparado (em todos os aspectos possíveis!) para uma legalização da cannabis e na reforma de sua política de drogas é que percebemos o abismo que nos distancia de todos eles. Ou seja, precisamos continuar debatendo sobre o assunto para não ficarmos para trás!

Conscientização, queridos banzers! Ela é a chave para levarmos informação a todos. Com a finalidade de fazermos que nossa causa seja encarada como séria, justa, necessária e vital. Para os amigos do uso medicinal e social da cannabis!

Banzai!

Shoulder Bag de Cânhamo do Dr. Banz

X
Add to cart