Os tipos de tricomas mais comuns da cannabis e sua relação com cada strain

Os 3 tipos de tricomas mais comuns da cannabis

  • Os tipos de tricomas mais comuns da cannabis

Salve Banzers!
Vimos recentemente que os tricomas são os grandes responsáveis pela formação dos terpenos e cannabinóides que dão características específicas para cada strain.

Uma strain se diferencia de outra além de seus efeitos, mas também por seu sabor diferenciado, pelo aroma perfumado, cítrico ou adocicado que as distinguem entre si. Nesse sentido, toda essa maravilhosa variação entre centenas de strains diferentes é culpa dos tricomas!

Existem muitos tipos de tricomas em muitos tipos de plantas diferentes, mas existem 3 que são facilmente encontrados na cannabis:

1) Tricomas bulbosos: são os menores entre os três, medem de 10~15 micrômetros, tão pequenos que são compostos por um punhado de células. Podem ser encontrados em toda a superfície da planta;

2) Tricomas capitados sésseis: são maiores e mais abundantes que os bulbosos, possuem cabeça e talo, possuem a função de proteção;

3) Tricomas capitados pedunculados: são os maiores, variam de 50~100 micrômetros, podem ser facilmente vistos a olho nu. Esse é o tricoma mais desejado pelo jardineiro. Visto que é responsável pela produção de altas concentrações dos compostos químicos da planta.

Enquanto os tricomas protegem as plantas de riscos externos, é extremamente importante que as plantas sejam acondicionadas de maneira correta para a preservação dos tricomas.

Muito contato físico, exposição demasiada a luz e calor ou muito oxigênio podem ter efeitos negativos no desenvolvimento dos tricomas. Por consequência, em sua habilidade de produzir terpenos e cannabinóides para o nosso deleite!

Banzai!

Fonte: https://420intel.com/articles/2018/09/14/what-trichome-and-why-are-they-important?utm_source=420+Intel+-+Marijuana+Industry+News&utm_campaign=8b40ec3883-420+Intel&utm_medium=email&utm_term=0_3210cbef52-8b40ec3883-278277101

Shoulder Bag de Cânhamo do Dr. Banz

O-que-sao-Tricomas

O que são Tricomas? Por que eles são importantes?

Salve Banzers de Jah!

Hoje vamos falar de tricomas! Apesar das flores e folhas serem reconhecidas instantaneamente como ícones da cannabis e levam os louros de todos os efeitos e benefícios que a erva nos traz, entretanto, existe uma pequeníssima parte da planta que produz um conjunto de cannabinóides e terpenos que formam as mais variadas strains.

Do grego “Tríchoma”, eles são minúsculos membros que forram as flores e em alguns casos a parte externa das folhas que são os produtores dos cannabinóides desejados assim como os terpenos aromáticos e flavonoides.

Viajou? Já escrevemos sobre os terpenos em nosso blog!

Os tricomas são encontrados numa variedade de plantas, por uma série de motivos diferentes. Comumente trabalham para proteger a planta de predadores perigosos e condições climáticas difíceis. Algumas plantas carnívoras se utilizam dos tricomas para aprisionar suas vítimas em sua viscosidade. Animais maiores não comem a planta cannabis por seu odor e sabor amargo produzidos justamente por causa deles.

Os tricomas protegem a planta e principalmente suas flores do clima e ainda inibem o crescimento e desenvolvimento de fungos. Assim que as plantas começam a flora, eles começam a se formar ao longo de toda a vegetação. A concentração dos cannabinóides produzidos pelos tricomas dependem de muitos fatores ambientais e genéticos. Normalmente dependem da quantidade de luz que as plantas estão recebendo e também dependem da configuração de cada strain, uma mais maravilhosa que a próxima!

Banzai!

Shoulder Bag de Cânhamo do Dr. Banz

Strainprint

Strainprint Analytics

Que a indústria da cannabis está à todo vapor (literalmente), nós já sabemos. Muitos países já iniciaram seus processos de legalização para uso medicinal ou social/recreativo, mas o Canadá realmente se destaca na vanguarda desse novo mundo cheio de oportunidades.

No fim de Março/2018, a Strainprint, empresa canadense líder no mercado de coleta e análise de dados cannábicos, lançou o aplicativo Strainprint Analytics. Trata-se de uma plataforma onde os usuários poderão registrar dosagens e efeitos atingidos – seja no uso medicinal como também no social/recreativo –  com as diversas variedades de cannabis (strains em inglês) existentes.

Nesse app (iOS e Android), usuários poderão buscar informações sobre aquela variedade específica de cannabis, qual sua genética, o tipo de ingestão preferida (vaporizada, inalada, ingerida), dosagem apropriada e a composição química de cada strain. Essas informações podem ser pesquisadas antes do consumo numa base de dados que já conta com milhares de pacientes/ usuários cadastrados, (encriptada, confidencial e segura).

Após o consumo, o usuário do app pode preencher cada campo para suas próprias percepções e, posteriormente, pode compartilhar esses dados com outros usuários ou seu próprio médico para informar qual strain e qual dosagem é mais apropriada para cada necessidade.

Pacientes ganham, pois conhecem o que funciona melhor para suas próprias necessidades, aprendem com outros usuários do Strainprint, e ganham/acumulam pontos a cada avaliação. Médicos ganham porque aumentam sua experiência clínica (sobre performance, interações, dosagens) das centenas de tipos de strains existentes, monitoram o que funciona melhor para cada paciente e fazem recomendações mais objetivas para futuras prescrições. A indústria ganha, já que oferece seus produtos a uma base de clientes/consumidores engajados e sempre em busca das últimas novidades no mercado. A pontuação acumulada pelos pacientes a cada review, pode ser trocada em forma de descontos na aquisição de produtos das empresas vinculadas ao Strainprint.

Esse é o tipo de interação que a legalização pode proporcionar a tríade pacientes/usuários x médicos x indústria, onde todos ganham com a informação compartilhada e se beneficiam com as inovações constantes que o admirável mundo cannábico proporciona, por enquanto no Brasil, sempre veremos a grama dos vizinhos cada vez mais verde…

Nós do Dr Banz entramos em contato com a Strainprint e eles disseram que por enquanto o aplicativo está liberado apenas na América do Norte. O motivo? O Brasil e vários outros países ainda não possuem classificação dos tipos de cannabis e o app só utiliza strains verificados através de laboratórios.

Você sabe qual é a cannabis que vem no seu prensado? O que você está consumindo? Comente com a gente suas experiências e opiniões.

Fonte: www.strainprint.ca

X
Add to cart